segunda-feira, 16 de junho de 2014

[7034] - CRÓNICA EVENTUAL...

4 - 0
 
Uma coisa parece que foi finalmente provada: não basta ter o melhor jogador do Mundo para vencer uma das melhores equipas do Mundo...
Também não é todos os dias que um futebolista, em quatro remates que executa, consegue três golos...
O árbitro sérvio, ignorante quiçá do princípio jurídico "in dubio pro reu", aplicou a regra de, em caso de dúvida, apitar contra Portugal e se a sua decisão no caso da expulsão de Pepe fizer jurisprudência, nunca mais um jogo de futebol vai terminar com 22 jogadores em campo...Só que, ao que se conseguiu constatar, a atitude do juiz traduziu-se, no que ao resultado concerne, num penalti que deu o primeiro golo à Alemanha e na vista grossa a falta sobre Eder que poderia ter dado o primeiro golo a Portugal...
Mau grado, no entanto, a equipa das quinas não patenteou estatuto suficiente para discutir o resultado com os germânicos, jogando a passo de caracol quando, contra o futebol mecanizado da Alemanha, teria sido necessária a velocidade das lebres...
A jogar assim,  como em cadeiras de rodas vão, decerto, regressar a Portugal mais cedo do que se poderia  desejar!


5 comentários:

  1. É uma pena ver o talento de CR7 e Fábio Coentrão desperdiçado num grupo de jogadores medianos.

    ResponderEliminar
  2. Decisões precipitadas dão grandes conseqüencias. Gestos bruscos nada resultam. Mas também teatro em campo de futebol é é, forçosamnte, mau espectàculo.
    Não aplaudo esses "artistas".

    ResponderEliminar
  3. Tens razão, Val...Chega a ser revoltante a teatralização que alguns jogadores utilizam para condicionarem as decisões da arbitragem...Da mesma forma que custa acreditar serem mera ingenuidade certas atitudes de árbitros que supostamente deviam ser de primeira água...E, certamente, há artistas da bola que também não ajudam...

    ResponderEliminar
  4. Em minha opinião, tudo está no detalhe, neste caso, o da previsão e o do planeamento e da organização.
    Por que razão os alemães preferiram instalar-se no lugar onde ia decorrer o seu jogo inaugural, em de um lugar porventura mais confortável do ponto de vista climatérico? Por que razão treinaram todos os dias à mesma hora do jogo, sob a inclemência do sol?
    O resultado é que se mostraram mais frescos fisicamente que os nossos rapazes.
    Claro que, como se isso não bastasse, o árbitro ajudou à festa germânica.
    Agora só é preciso recolher os cacos e colá-los com o grude possível.
    Nada está perdido, mas é preciso tirar partido dos erros cometidos.

    ResponderEliminar