quinta-feira, 24 de julho de 2014

[7217] - POEIRA DO TEMPO...

Segundo o próprio afirma, este é o mais antigo postal sobre Cabo  Verde que o A.Mendes descobriu, até hoje...
É uma mensagem de Boas-Festas, formulada por altura da Festa dos Reis, no ano de 1907, em Queluz...
Presume-se que alguém, cuja assinatura não conseguimos desvendar, terá passado por Santiago (Praia) e adquirido o postal que, uma vez em Queluz - minha actual morada - o terá sido enviado, sabe-se lá a quem, com desejos de "Festas Muito Felizes"...
É um belo grupo e só me questiono por que razão foi titulado como "Batuque indígena"...

12 comentários:

  1. Tenho uma versão deste postal (carimbado a 13.Maio.1906, portanto, em data de carimbo, anterior ao do Mendes) completamente distinta deste, em termos de legendas.

    Em baixo, à esquerda, está escrito "Cabo Verde, São Vicente"; à direita, "Costumes".

    O que eu tenho foi editado pelo Union Bazar, de São Vicente. Parece que alguém da Praia pegou na foto e adaptou-a à ilha do platô, para "turista ver".

    O meu foi enviado para um José Guedes, residente na Rua Formosa, 100, Porto.

    Tenho de arranjar maneira de mudar o nome do cantor das mornas do Arrozcatum para Dean Martin… Vou já contratar um hacker jeitoso para o efeito e pago-lhe com uma pratada de arrozcatum.

    Braça badiu-sampadjudo,
    Djack

    ResponderEliminar
  2. Meu Caro Anónimo de nome Djack de Praia de Bote:

    Se bem reparou, o postal não tem carimbo... mas, a data em que foi escrito.
    Portanto, por consequência podia ter sido editado em data muito anterior a 1907!

    Já agora: espero ouvi-lo a cantar no Praia de Bote.. cantar ou declamar!

    Saudações postadas e musicais

    ResponderEliminar
  3. É verdade, podem até ter sido os dois feitos ao mesmo tempo, uma edição em cada ilha. Grande barrete, alguém meteu! Resta saber onde é que a foto foi feita, mas isso é bem difícil.

    Braça com aldrabice desconhecida,
    Djack

    ResponderEliminar
  4. O Praia de Bote bastas vezes tem demonstrado que muitos destes postais antigos são duvidosos quanto à natureza do seu conteúdo. Há excepções, claro.

    Quanto à sugestão do "amendes"to, não digo nada, não. O Djack não é de levar desafio desaforado para a praia, e não tarda vai aparecer com uma linda e heróica canção de marinheiro a servir de fundo ao PdB. E não é que o Djack tem também uma bela voz?!
    E entretanto que o Zito continue ao microfone!

    ResponderEliminar
  5. O Zito está a enrolar a trouxa (microfones, cabos, mesa de som) para a reportagem de amanhã...

    Braça com "Estimados ouvintes, hoje aqui na Associação Cabo-Verdiana..."
    Djack

    ResponderEliminar
  6. Infelizmente estou, momentaneamente, retido pelo ácido úrico que me tomou conta do pé direito e, claro, eu não gosto de entrar em parte nenhuma...com o pé esquerdo!
    Braça com Alopurinol,
    Zito

    ResponderEliminar
  7. É o que dá andar nas consultas de médicos lisboetas manhosos. Isso era logo Dr. Fonseca ou Dr,. Morais e o pé passava num instante de pé de chumbo a pé de Ronaldo. Esta gente, não percebe nada de pés... A propósito, o Dr. Fonseca arranjou-me três metatarsos partidos do presunto esquerdo e nunca mais houve problemas. Entrava-se no hospital, ia-se por ali adiante até o pátio, virava-se de imediato à esquerda e lá ao fundo havia uma enfermaria onde ele fez trabalho de pedreiro com um belo gesso branco e me fabricou uma lindíssima bota que durou um mês. Depois ainda houve não uma bota mas uma espécie de meia feita de ligaduras coladas com cola de zinco (tudo comprado por mim na Farmácia do Leão), coisa de que ninguém aqui ouviu falar, acho eu... Mas resultou e o dito presunto ficou para sempre em ordem.

    Braça presuntal
    Djack

    ResponderEliminar
  8. É claro que nem um nem outro já existem, mas a memória de ambos perdura...

    Djack

    ResponderEliminar
  9. Coincidência, Djack, também parti metatarso no pé direito e foi o Dr. Fonseca quem fez o trabalho de estucador.

    ResponderEliminar
  10. Pois é, amigos, mas com as dores dos vossos tarsos, metatarsos e dedos posso eu bem...Ah!Ah!Ah!
    A propósito a minha médica de família é de Braga...terra do Bacalhau à Minhota!!!

    ResponderEliminar
  11. Essa dos metatarsos é de facto coincidência que nos une na parte pedestre. A história dos três pequenos ossos partidos, pode ser lida no tal romance do tal tipo, o tal, aquele... Vamos ver se agora que a idade avança não partimos ambos a bacia e vamos desta para melhor.

    ResponderEliminar
  12. Quem bem curava os tarsos e os matateus era Nhô Djack de Eden-Park... quando pulávamos muro de cinema! Ele chegou a curar entorse de Dr. Regala!

    " Vocês salta un ta curá!

    ResponderEliminar