quarta-feira, 13 de agosto de 2014

[7278] - POEIRA DOS TEMPOS...


Francisco Travassos Valdez – Passagem por Cabo Verde

Então membro da Comissão Mista Luso-Britânica, passaria por Cabo Verde, precisamente, durante o terrível surto de Febre – Amarela, escrevendo depois nas suas memórias. 
(excertos)
1861 – Mindelo: - “Só com muita dificuldade” os elementos do seu navio haviam obtido “ braços suficientes para meter carvão no vapor, apesar de haver sido reforçada a guarnição militar para que soldados pudessem ajudar, enferma, ou ocupada em administrar os urgentes socorros aos parentes e amigos”. Refere então Travassos Valdez que havia valido ao Mindelo os trabalhos do médico (militar) Henrique Leopoldo Gomes Guibara, o administrador do concelho, António Joaquim Martins, Serafim dos Santos Frederico, o padre Sebastião Luíz Monteiro e, especialmente, uma “verdadeira irmã de caridade”, que havia sido Catarina da Silva Évora.
“Informaram-nos que foi tal a mortandade que de 1.400 habitantes em que calculava a população, apenas restava naquela ocasião a décima parte”…
…” O sofrimento e o terror d’aquele infeliz povo, ainda se tornaram mais penosos quando perdeu o seu cirurgião Henrique Leopoldo Gomes Guibara, a cuja memória os habitantes da ilha, tiveram a generosa ideia de lhe erigir um mausoléu”...
(Introito para uma crónica alargada):
Ilha do Fogo: - “ A respeitável casa comercial Viúva & João Baptista Burnay, além de outros donativos que fez generosamente, nada quis receber pelo frete do patacho “Cordialidade” em que fugiram para a cidade da Praia muitas famílias da Ilha do Fogo, nem pelos prejuízos que decorreram com a demora que o navio teve no porto devido ao tempo de quarentena”…
…” Temos de admirar estes rasgos de generosidade d’aquela honrada e acreditada Casa Comercial, porque a Província de Cabo Verde, já devia, em grande parte, pela sua principal origem e riqueza utilizada pelo impulso ao importante comércio de exportação de semente de purgueira de Cabo Verde, e por consequência as vantajosas relações comerciais com a “Metrópole” … 
Viagens do Historiador Travassos Valdez.
Pesquisa de A.Mendes

NOTA - Julgamos que João Baptista Burnay seja parente da família do Conde de Burnay que, em Portugl, por exemplo, detinha o Banco Fonsecas & Burnay, a que veio a suceder o actual B.P.I..
Estamos a documentar-nos para ulterior desenvolvimento...

3 comentários:

  1. Mais um importante relato que o amendes (ou é preferível dizer Artur Mendes?) traz ao conhecimento público ou à relembrança dos que o conheciam. Há 2 anos, visitei o cemitério do Mindelo e reparei no mausoléu do médico militar, Henrique Leopoldo Gomes Guibara. Até tirei uma foto, que pedirei para ser publicada aqui se a conseguir encontrar.

    ResponderEliminar
  2. Gentileza sua...
    Muito brevemente irei ao A.H.U - Arquivo Histórico Ultramarino recolher elementos sobre a "estória" , da Casa Viúva& João Baptista Burnay, porque ela está ligada ao desenvolvimento da ilha do Fogo em particular e de Cabo Verde em geral..

    Gostaria de ver a foto do mausoléu do Dr. Henrique L. Guibara ... parece que estamos na presença de um" antepassado" do Dr Baptista de Sousa, ambos Militares ligados ao coração do Povo de S.Vicente..
    Para não variar, continuo amendes.

    Mantenha.

    ResponderEliminar
  3. Amigo amendes, depois de prometer publicar o mausoléu, fui logo aos meus arquivos e infelizmente nada encontrei. Lembro-me de que, há tempos, para ilustrar um dos posts sobre as forças expedicionárias a Cabo Verde na II Guerra Mundial, pedi fotos do talhão militar (sepulturas) a um primo meu em S. Vicente. Ele tirou mais de uma foto e entre elas estava esse mausoléu. Aparece tudo menos esse mausoléu. Devo tê-lo eliminado por não dizer respeito ao objecto concreto do meu texto (sepulturas de militares expedicionários). Mas se apaguei não entendo porquê, pois não havia razão. Hei-de continuar a procurar.

    ResponderEliminar