domingo, 7 de setembro de 2014

[7366] - POEIRA DO TEMPO...


    In Portugal Colonial - 1932
    Pesquisa de A.Mendes

3 comentários:

  1. O povo aqui sentado, a ver os atuns a voar para Queluz, pretende saber qual a utilidade do CFS, já que o outro, o da morada, sabemos que era coisa de empresas carvoeiras e dele há fotografias. Um terceiro (ou o mesmo?) assentava sobre o cais da Alfandega e supomos que se destinaria ao transporte até aos barracões de mercadorias descarregadas de barcos. Fica o povo à espera de esclarecimentos sobre esta coisa extraordinária da qual não tínhamos conhecimento.

    Braça com pouca-terra, pouca-terra, pouca-terra e vapor a fazer o Monte Cara espirrar,
    Djack

    ResponderEliminar
  2. Exactamente, há que procurar saber desta coisa bizarra de um caminho de ferro para a Salamanza...Claro que a foto nada tem a ver com a noticia...Foi obtida, em tempos bem mais próximos em Nova Lisboa, hoje, Huambo!

    ResponderEliminar
  3. Tinha de haver uma utilidade maior que facilitar a vida aos andarilhos de Salamanza ao Mindelo e vice-versa. A coisa era cara em demasia para ser só para pessoas. Mais o mereceria São Pedro, por exemplo. Esperemos que alguém dê o seu contributo de sapiência sobre o porquê desta estranha linha de caminho-de-ferro.

    Braça à espera, pois aqui o Djack que sabe quase tudo, sabe que o "quase" é bem maior que o tudo, bem maior.
    Djack

    ResponderEliminar