domingo, 21 de setembro de 2014

[7440] - GEORGIOS, O GRÊGO...

Em pose mais ou menos atlética, este sorridente mindelense, era grego e chamava-se Georgios Karantonis...Era, segundo constava, homem de força hercúlea que, dizia-se, conseguia dobrar varões de aço, em exibições públicas que nunca cheguei a testemunhar...
Casou em S.Vicente e deixou uma bela descendência...Mau grado o aspecto musculado, era um homem calmo, cordial, que adorava bicuda, segundo ele, o melhor peixe do mundo...Por causa disto, teve, com meu pai, adepto da pescada, uma disputa que durou trinta anos...O resultado desta animada discórdia, claro, não podia ser diverso: meu pai não comia bicuda, pois cheirava muito a peixe, e o Jorge Grego não comia pescada que, segundo ele, era tão branca que devia sofrer de anemia! Foi um privilégio conhecer e privar com este bom gigante e  a sua maravilhosa família!

5 comentários:

  1. Quanto aos peixes em causa, estou seguramente do lado do Jorge Grego, pois em minha opinião a bicuda é bem mais saborosa que a pescada.
    Estive neste fim-de-semana num casamento na Sertá de um primo-sobrinho da minha mulher. Foram dois dias de comezaina e baile com música ao vivo. O conjunto musical era local e animou o ambiente com boa música de dança. Não foi com surpresa que a dada altura tocaram a música de "nh'Anton Eacaderod", que por sinal foi das que mais puxaram pelo pessoal. Conheço um conjunto que actua por estes lados de Tomar e em cujo repertório entra música de dança cabo-verdiana. A música cabo-verdiana parece ter há muito ultrapassado os limites das ilhas,

    ResponderEliminar
  2. Com o meu voto, a bicuda já ganha por 3 a 1...Quanto à música de CV, meu caro, as coladeras, principalmente, mexem com o corpo, instintivamente, creio eu...

    ResponderEliminar
  3. Dou o meu voto à bicuda, grande peixe.
    Relativamente à mùsica, e por estar numa terra de lingua francesa, assinalo-vos dois acontecimentos para verem que as nossas melodias dão para tudo: Alegria e dor.
    a) Conheci uma familia desta cidade que conheceu Santo Antão antes de nos conhecermos. Sucedeu ter o marido deixado este mundo e na Igreja puseram a sua mùsica preferida, "Sodade" cantada pela Cesària.
    b) Num casamento, também de franceses, o DJ abriu o baile com uma mùsica que a maior parte das pessoas não conheciam: "S.Vivente ê um brasilim". Poucos facaram parados.
    Hà gente que vai ficar cheia de ciùme.
    Não sei se o Adriano ficou surpreendido mas eu tenho tido muitas surpresas por estes lados.

    ResponderEliminar
  4. Voto Bicuda. Gosto do cheiro/gosto a marisco dos peixes de CV

    ResponderEliminar
  5. Feliz combinação esta do Georgius nascer da Grécia e viver em Cabo Verde. Eita homem sortudo!

    ResponderEliminar