terça-feira, 24 de março de 2015

[7928] - BOAVISTA: MATANÇA DE TCHUCO...


O Governo cabo-verdiano colocou de quarentena a ilha da Boavista como medida de precaução, na sequência do aparecimento de 70 porcos mortos e esventrados numa lixeira, indica a imprensa local.

 A decisão foi anunciada pela ministra do Desenvolvimento Rural cabo-verdiana, Eva Ortet, que não adiantou a causa das mortes dos suínos, confirmando que foram já recolhidas amostras para análise.

"A intenção - avançou - visa evitar que, caso seja epidémico, a doença se alastre a toda a ilha".

"Decidimos avançar com um serviço de prevenção e de quarentena, fechar o cerco para que uma eventual doença não se alastre para outras zonas. Neste momento, procede-se também à recolha de amostras de sangue para análise para saber do que se trata", sublinhou.

No sábado, a imprensa local deu conta de informações, ainda por confirmar, que parte da carne dos suínos mortos estaria a ser comercializada localmente, sobretudo no bairro da Boa Esperança (Barraca).

O delegado do MDR na conhecida ilha turística cabo-verdiana, João Silva, afirmou que, em apenas três dias, foram encontrados 70 porcos mortos, na lixeira.

João Silva assegurou que as autoridades sanitárias estão a desencadear uma operação de fiscalização à carne e aos derivados de porco comercializados em toda a ilha. (in Açoriano Oriental).

N.R. - Não compreendemos muito bem como se presume que haja uma "doença" dos porcos que redunde no seu esventramento...Este, cremos que só a mão humana o poderia ter promovido, pelo que a "epidemia" parece ter outros contornos a reclamar mais a atenção da autoridade policial do que a sanitária!

5 comentários:

  1. De noite para o dia apareceram 70 porcos mortos e... esventrados, o que demonstra que não se trata de uma epizotia. Tanto mais que Cabo Verde não importa carnes de nenhum lugar e as doenças não aparecem com o vento que, aliàs, como dizem na nossa terra "leva as doenças". Tudo leva a crer que foi premeditado.
    Isto me faz lembrar o que sucedeu a um cabo-verdeano, criador de porcos (num lugar em pleno campo) no Senegal. Os animais, que se alimentavam com restos dos restaurantes, eram seguidos pelos serviços de veterinária (oficial) e a carne vendida nos talhos da capital. Um dia apareceram completamente chacinados. Foram muçulmanos que fizeram (ou mandaram fazer) a brincadeira, deixando o homem arruinado.

    Pensem o que quiserem.

    ResponderEliminar
  2. É estranho este caso de aparente matança clandestina. Matar só por matar, tratando-se de porco sugere de facto motivação religiosa, ou seja, acção de islamitas.

    ResponderEliminar
  3. Plenamente de acordo com os dois comentaristas. Um pensa e não diz e o outro avança o que o outro não diz.
    Eu não posso afirmar mas aposto a 99% que se trata da mesma "vingança". A época de neo-cretinices que se
    vêm por todo o lado do planeta onde passam. Até parece moda e como em Cabo Verde temos de a mania de
    seguir as modas... Nem sequer pensam que o terreno està fragilizado, sujeito, portanto, a multiplicação virual.
    Acuda-nos Nosso Senhor

    Ema Rodrigues

    ResponderEliminar
  4. O acordo comercial com a CEDEAO em nada, mas mesmo nada abona a favor de Cabo-Verde....As parcerias comerciais com os países da África Ocidental são....INEXISTENTES...sem falar da invasão incontrolável dos emigrantes africanos que vai deixar este país, a curto prazo, de rastos...O bairro da boa esperança na Ilha da Boa Vista é habitada maioritariamente por emigrantes africanos e o pessoal da Ilha de Santiago...Eu cresci e vivi na Ilha da Boavista, pois a minha mãe é natural desta simpática Ilha, de Fundo-das-Figueiras, aonde eu e e os meus irmãos passávamos as férias grandes,de páscoa,de natal de tudo...A Ilha práticamente nos pertencia e explorávamos todos os seus recantos do Norte a Sul, do Ervatão á Estância de Baixo, de Spinguera ao vale do Calhau, ao campo da Serra ou Mucinhe de Traquejode.O povo, apesar de várias dificuldades vivia com graça e com honra...Com o "boom" turístico tudo transformou-se num piscar de olhos...As más práticas do Governo,procurando amealhar rápidamente alguns trocados, lançou esta Ilha numa revolução interna horrível...As populações vivem hoje em estado de sítio, com medo mesmo de sair á noite pois a insegurança, o roubo, o caçu-bodi viraram rotina nesta Ilha outrora tranquila, aonde quase não havia nenhuma forma de prática criminosa...O bairro da boa esperança nasceu com a importação da mão-de-obra barata, á pressa, para a construcção dos Hóteis...O Governo simplesmente "esqueceu" que a Boa-Vista na altura, era a Ilha menos habitada do Arquipélago, com uma população local de cerca de 4500 almas, apesar de ser a terceira maior de Cabo-Verde, e por conseguinte não tinha braços suficientes para o fenómeno que se avizinhava...A invasão começou, primeiro com a grande maioria da Ilha de santiago, seguida pelos emigrantes da costa ocidental da África...E começaram os problemas...Após a construcção das galinhas dos ovos de ouro,a populaça simplesmente "recusou" voltar para as Ilhas ou os países de origem...E aproveitaram da simplicidade e da ingenuidade dos Boavistenses,para em pouco tempo, lançar esta bonita Ilha no caos...Os roubos de gado, tornaram tão intensos que as famílias fazem plantão de guarda á noite nos currais para assim preservar o magro sustento que advém da criação de gado caprino e bovino...As aves foram quase irradicadas e forçadas a viver em galinheiros cercados de cães ferozes que ás vezes são mortos pelos assaltantes..As noites tornaram-se pesadelos, com portas e janelas com trancas e dobradiças reforçadas, pois os assaltos começaram a suceder mesmo em pleno luz do dia e levavam tudo: Desde colchões,panelas,sapatos,meias,garfos,facas, práticamente tudo...O Governo nada fez e nada faz...O crime aumentou significativamente e nestes bairros de lata e papelão começou a surgir um novo fenómeno: A cultura da religião muçulmana praticada pelos nossos " irmãos" Africanos...A matança de porcos não me surpreende, pois peço desculpas pela minha forma directa de falar mas a lavagem cerebral nos domínios da prática do islão é sobejamente conhecida...enfim, mais uma para a Ilha da fortuna...

    ResponderEliminar
  5. O acordo comercial com a CEDEAO arranja, sim senhor, mas a camarilha que apostou na africanisação de Cabo Verde trazendo gente que "nem bosta tem pa bosteà". E, por inconsciência, brevemente a sua islamização.
    Os 70 porcos mortos não morreram de qualquer epizotia porque, de noite para o dia, encontraram-nos desventrados, sinal de foram vitimas de um comando. Porque? Simplesmente porque o islão não permite a criação ou consumo de suinos considerados impuros a léguas de distância. E como não os podem roubar para consumir ou vender, fazem-nos desaparecer. E a ingénua da Ministra põe a ilha de quarentena. Nem dà para rir !!!
    Quanto à honestidade da gente da Boavista lembro-me de um adàgio que durou - "gente de Bubista ca ta ftâ". Essa gente modesta, culta, pacifica, não furtava mas os poderosos furtam a sua originalidade.

    Eduardo Oliveira

    ResponderEliminar