domingo, 26 de abril de 2015

[8070] - FOI A REGIONALIZAÇÃO ADIADA?!...

Em Editorial do Expresso da Ilhas, segundo o qual "A Regionalização foi adiada sine die", existirá um certo pensamento no seio do MPD, que não  destoará muito de um certo pensamento do PAICV, segundo o qual os Regionalistas" não querem perceber que dirigir uma economia que privilegia a reciclagem da ajuda externa gera, inevitavelmente, a centralização. A necessidade de comando e controlo obriga a que tudo se concentre, essencialmente, na cidade capital e que os procedimentos sejam centralizados."

Segundo o EDITOR,  basta pôr termo à economia que privilegia a reciclagem da ajuda externa, com um governo por exemplo do MPD, e o problema fica resolvido com um estalar dos dedos...Magia!
Bem gostaríamos de acreditar na boa fé deste EDITOR, e no primado da economia sobre a política e o social,  em que basta sanar as questões económicas com uma mudança do poder e estão os problemas de Cabo Verde resolvidos!
Então vamos votar todos no MPD, que promete mudar o paradigma da economia cabo-verdiana e os problemas do centralismo, etc., ficam resolvidos!
BOM:  NÃO SEJAMOS INGÉNUOS, POIS O INFERNO ESTÁ CHEIO DE BOAS ALMAS!
Para já, não conhecemos o projecto económico do MPD para esta nova economia cabo-verdiana. Por outro lado, este partido está longe, mesmo muito longe, de ser alternativa, dada a sua actuação concreta no terreno,  as ideias, as propostas, os projectos, as iniciativas. O seguidismo, em relação ao governo, é total ao ponto que parecem siameses. Para  desaire de todos o MPD, pura e simplesmente, não convence, não mobiliza. Pergunta-se mesmo se há oposição institucional em Cabo Verde, tirando alguns editoriais, artigos escritos por grandes figuras deste partido e posts muito interessantes, no facebook?!
Portanto, os cabo-verdianos vão ter que sofrer os seus males com paciência, pois o fim do túnel, com o PAICV, não está à vista!
E se, por acaso, este partido perder teremos um PAICV recauchutado?

1 comentário:

  1. Ó José não desanimas pois esta "TAPADINHA" já passou por situações bem mais piores durante o percurso da sua existência. De gerações em gerações fomos comendo pedras juntamente com as Cabras e, ainda continuamos de pé e firmes.
    Portanto, estou convencido de que nós Caboverdianos, temos a capacidade suficiente para encontrar solução para esta e outros "Problemas" que vão aparecendo. Por outro lado, se levarmos em conta, aquilo que esta a passar no Mediterrâneo com relação aos cidadãos de outros países nossos vizinhos, para não dizer por esse mundo fora, podemos considerar uns privilegiados.
    Já alguém dizia que vida sem problema não tem sentido mas, devemos é estar preparado para resolve-los. Este portanto, é mais um que será resolvido se não for nesta, será noutra geração.

    ResponderEliminar