sábado, 23 de maio de 2015

[8172] - REMINISCÊNCIAS...

Nataniel Semedo Silva
S.Paulo - Brasil
PAICV - UMA DAS “VIÚVAS ALEGRES” DO PC SOVIÉTICO... NOVAMENTE?
 MPD - AQUELE “RABENTOLA GLOBAL”... OUTRA VEZ?

SENHORAS E SENHORES,  ENE VEZES, NÃO!

Eis a hora de uma virada histórica, dependendo apenas de nós!
Oito anos depois do regime do MPD em hemorragia perder a consciência situacional global e a inteligência local 'rabidando' as ilhas aos donos do capital bandido sem fronteiras novamente os filhos do “P.A.I” estavam de volta ao poder para perplexidade, espanto e choque da maioria do povo das ilhas. A massa desolada se absteve de votar enquanto a falange paicevista se mantinha ‘karapatidu’ á sua “zona de conforto” nutrindo - se do ‘stock’ do seu [des] governo fascio pós 1975.
A vida, a cosmogénese e a antropogénese é feita de ciclos, estágios e dispensações assim como o tempo tem seus portais e suas idades.Temos agora que, mais de dez anos depois do seu regresso ao poder nas ilhas, o PAICV, seus dirigentes, ícones estupores do passado e do presente, bem como o co - [des] governo [entenda-se oposição], como o império ocidental e o seu “campeão” ao qual têm sido ‘katxaz’ se encontram numa autêntica encruzilhada, naquele que um ilustre sobrinho do tio Samorset chamou de gaiola dourada.
[...] Foram eternos quinze anos de partido - estado em monólogo aviltante e traumático com os homens de mão desta viúva alegre do Partido Comunista Soviético andando a soldo em patrulha canina á consciência do bravo e digno povo das ilhas sob um regime de inaudito terror fisico e sevícias psicológicas. Nossa memória coletiva guarda indelével a tortura brutal ao lendário Txibia de Vila Nova da Cidade da Praia, apenas para citar este cabo -verdiano.
Eu mesmo, então um jovenzito ingénuo e vulnerável caí nas garras violentas de um tal de Fanhamas de Paiol, um policial secreto e aloprado vassalo do seu “P.A.I”... Um “autêntico terror por todos os lados”. Puto praiense fui parar á “Frigideira” [a tristemente célebre cadeia] por um dia sem saber o que estava acontecendo. Violentado nos meus direitos [Ops! Direitos?] por intervenção da minha tia D.Zinha di nha Maria di nha Djodja por um milagre me soltaram no dia seguinte.Se isto fosse hoje processaria o estado!
São várias as nódoas nas ilhas e os buracos negro de impunidade que o tempo não apagou.Na reconstrução da nossa história épica como povo e na reinvencão social depois da saída da “Unidade de Terapia Intensiva”, ou “Quinta Enfermaria” que Stalin e maquiavelicamente nos impuseram [suspiros!] vem soprando os ventos da primavera trazendo as fragrâncias e o orvalho estival da madrugada depois do vendaval de poeira que por décadas vem sendo atirado aos nossos olhos de lince - ilhéu.Eis a hora de uma virada histórica, dependendo apenas de nós!

Sem comentários:

Enviar um comentário