quarta-feira, 8 de julho de 2015

[8287} - INDEPENDÊNCIA E DEMOCRACIA...

A Independência e a Democracia em Cabo Verde

Após 40 anos como Estado independente, creio dever o Estado Cabo-verdiano, promover debates sérios sobre a sua fundação e a sua democratização, sob pena de continuar a ter no futuro jovens quadros e dirigentes, a confundirem a "legitimidade história fundacional" e a democrática do respectivo Estado, navegando em águas turvas, gerado por propaganda politica do PAICV, mal combatida pelos demais partidos, e pior do que isso, consentida pelo próprio Estado. 
Este desabafo, vem a propósito da tentativa do Jovem Luis Leite e não só, em associar como causa e consequência a independência de Cabo Verde e o estabelecimento do Regime Democrático neste país. Isto é, volta á ribalta a velha tese do PAICV de que era preciso ditadura para depois alcançar a democracia, tese que qualquer um de mero bom senso politico não pode subscrever. Ressalvando o respeito por opinião contrária e (disponibilizando-me para a discussão pública do tema), diria que já é tempo de esclarecer de uma vez por todas que a independência de Cabo Verde, não é consequência da luta armada na Guiné Bissau, onde estiveram meia dúzia de patrícios nossos e que em Cabo Verde, nunca antes houve luta armada ou politica. A independência é antes fruto da descolonização na sequência do 25/04/1974 e da vontade do Estado Português em desembaraçar das antigas colónias, especialmente das pobres como era o caso de Cabo Verde e São Tomé. Não fosse isso, ainda tinhamos militares portugueses, nos seus quarteis no Sal, São Vicente e Santiago, principalmente. Assim, não sendo a luta armada na Guiné, causa da independência de Cabo Verde, também o Estado Democrático de Direito, não é consequência da independência de Cabo Verde, bastando para isso, lembrar a liberdade que gozávamos em Cabo Verde nos anos 1975 a 1990! Se o PAIGC/CV, não assume o seu património histórico ditatorial de 1975 a 1990, não pode por via de propaganda politica, querer-se armar em paladino da democracia e liberdade em Cabo Verde, e muito menos como criador do Estado de Direito Democrático em Cabo Verde, bastando para isso lembrar, como votaram a primeira constituição que instituiu em Cabo Verde o Estado de Direito. Quem tem memória não deve esquecer que os deputados do PAICV abandonaram a assembleia para não votarem a nova Constituição Cabo-verdiana.
No que se refere às regalias dos "supostos combatentes", apenas digo, que é outra forma de mamar que o actual Governo do PAICV, encontrou para subvencionar seus militantes com chorudas e ridiculas reformas.
Até breve...
De Lisboa com um abraço para todos os cabo-verdianos,
Domingos Centeio 
Advogado 

Sem comentários:

Enviar um comentário