terça-feira, 11 de agosto de 2015

[8368] - A CULPA...É SEMPRE DOS OUTROS...

Antero Veiga: Casa para Todos está paralisada por causa do atraso de Portugal em desembolsar cerca de 17 milhões

O ministro do Ambiente, Habitação e Ordenamento do Território, Antero Veiga,  disse à  RCV  que o governo já fez o que tinha a fazer  para por de novo em andamento o projecto Casa para Todos  e que falta agora Portugal, país que financia o projecto com uma linha de crédito de 200 milhões de euros, desbloquear cerca de 17 milhões de euros para prosseguir com as obras.

O vice-presidente do Movimento MpD na oposição, Luís Filipe Tavares, denunciou a “incapacidade” do Governo em gerir o programa habitacional “Casa para Todos”, alertando que o Executivo deve mais de 13,6 milhões de Euros aos empreiteiros.

Antero Veiga refutou  as acusações e garantiu que o Governo cabo-verdiano não deve “um centavo” às empresas construtoras e que o problema está no atraso por parte de Portugal em desbloquear as verbas. Disse que “há uma grande confusão porque já fizemos a nossa parte, já saldamos todas as dívidas e, neste momento, há facturas pendentes em Portugal na ordem de 1,9 mil milhões de escudos cabo-verdianos (17,2 milhões de euros).

A parte cabo-verdiana já fez o que tinha que fazer”, prosseguiu Antero Veiga, classificando de “muita má-fé” o posicionamento do MpD. (in Noticias do Norte)

3 comentários:

  1. leam a carta que o emprenteiro José A. Figueiredo mandou a este ministro que organizou a falsa cimeira da Regionalização:
    http://noticiasdonorte.publ.cv/36124/amnesia-ou-engano/

    ResponderEliminar
  2. É evidente que a história de certo modo acaba por nos criar uma revolta, atendendo ao periodo em que cabo verde foi colonizado pelos portugueses! Mas estamos a falar de uma outra geração, e que segundo vejo, neste momento não temos razões para falar mal dos portugueses. Senao vejamos: os nossos governantes quando precisam de ajuda, portugal é o primeiro país a quem dirigimos; em termos de investimentos estrangeiros, portugal é o nosso maior parceiro; no tocante a saúde, entre outros, é por aí que vamos; quando os nossos politicos necessitam de apoio, em que matéria for, é portugal; etc etc…Por conseguinte, julgo que os nossos governantes deviam ser mais cautelosos quando fazem declarações que podem ferir a nossa relação diplomática, com países os quais temos parcerias institucionais

    ResponderEliminar
  3. Só discordo do senhor Maocha quando diz "...atendendo ao período em que Cabo Verde foi colonizado pelos portugueses!". Ora, as ilhas foram descobertas e povoadas por Portugal, e os cabo-verdianos mais não são que uma criação dos portugueses. A colonização só existe quando se invade e domina um povo, impondo-se-lhe uma outra administração e cultura. Não foi esse o caso de Cabo Verde. Talvez por isso é que quando Portugal ajuda Cabo Verde, o faz pela crença e pelo sentimento de uma realidade histórica da qual não pode eximir-se porque na verdade faz também parte do seu património. Por alguma razão os cabo-verdianos se sentem bem em Portugal e os portugueses em Cabo Verde.
    Foi com este espírito que Portugal aceitou cooperar nesse projecto "Casa para Todos", mesmo sem dispor de meios para fazer o mesmo em seu próprio benefício.
    Em tudo o resto que disse o senhor Maocha está inteiramente certo.

    ResponderEliminar