terça-feira, 29 de setembro de 2015

[8494] - SAMATÁ...


Ontem, tive o grato prazer de almoçar com o "nosso" Valdemar, o "mnine de Soncente" que vive em Tours, juntamente com meu irmão e as nossas caras-metades...Do repasto falarei, no entanto, noutra oportunidade...
Repasto que foi abundante mas a conversa foi mais do que muita e, a determinada altura, estávamos a falar do tempo em que usávamos "sandálias" quando referi que, no meu tempo, no Mindelo as sandálias se chamavam "samatá"...
Foi aí que o Val exclamou: "Pois era pá, mas aposto que são sabes de onde vem a palavra..."
E apostava bem pois  há pouco tempo tinha até andado a desfolhar uma série de alfarrábios em busca das origens da palavra, que até cheira a árabe, sem ter conseguido chegar a nenhuma conclusão...
Perante a minha declaração de ignorância, o Val pronunciou, sentenciosamente, "SUMMERTIME"...
E, aí, fez-se luz no meu espírito e compreendi, imediatamente que "samatá" só poderia ser uma corruptela daquela expressão britânica, referindo-se, claro, a algo que, lá na terra deles, só se usa...no Verão (Summer...)
É bem verdade que, como dizia não sei que filósofo, a gente passa a vida a aprender e morre...sem nada saber!
Obrigado, ó Val!

6 comentários:

  1. E de Queluz, o vice-cônsul deslocar-se-á a Almada, onde já estão preparadas as bandas de várias sociedades artísticas e a fanfarra dos bombeiros para o receber. Ruas engalanadas, bandeiras de São Vicente distribuídas aos meninos das escolas primárias e as forças vivas da zona já a tirarem do guarda-fatos os smokings e os sapatinhos de verniz. Vai ser uma grande festança, com cachupa em barda e grog a escorrer pelas ruas.

    Braça em expectativa,
    Djack (o anfitrião)

    ResponderEliminar
  2. Fico à espera que o Val consiga resistir...física e emocionalmente!
    Braça receoso,
    Zito

    ResponderEliminar
  3. Estou tremendo pois não sei se vou aguentar a festança que o "mnine de Praia de Bote" preparou. "Mnis daquele lugar ê mufine"
    A ver vamos.

    Relarivamente a "samatà" vamos dizer que foi a invenção de uma famosa "criada d'inglês" que viveu muitos anos com os bifes.
    Segundo o meu Pai, uma moça de S.Nicolau que servia em casa de um "british" foi contar que aquelas sandàlias do "senhor" eram "samatà". O senhor pedia-lhe sempre que fosse buscar "summer time".("Summer time" deu" sama taime" e depois "samatà" que ficou para sempre.
    Pode haver outra versão mas esta me foi contada por alguém muito proximo a essa gente sobre quem não tenho dùvidas.

    Quanto ao almoço veremos depois porque a màquina està emperrada.

    ResponderEliminar
  4. Eu já conhecia a origem deste nome, pois o Val contou-ma há uns anitos atrás.

    ResponderEliminar
  5. Caro Valdemar

    Um bi-desculpas... 1º. Por motivo de saúde não poder ter a honra e o prazer de acompanhar o repasto... Ocasiões não faltarão!
    Assim, nossa Senhora da Luz compnhá nós!

    2 - SAMATÀ

    Com a devida vénia, vejo-me na permito-me de transcrever uma outra origem para para a palavra " samatá na pé":

    ..." Uns dizem que é de origem "fula" ( Guiné Bissau) que, sua vez, possui uma percentagem muito grande da língua árabe. Segundo outros, "samatá" tem a sua origem no vocábulo francês "samedi" com as seguintes modificações fonéicas : Samedi > é um vocábulo francês com as seguintes modificações ortográficas : samedi (abrandamento do >a )> samati (reforço fonético do d>t samati > abrandamento do I>a -- samata -- propraraxitonização do vocábulo árabe porque as palavras árabes não acentudas são paroxítonas e a tendência para o uso sem ser na língua árabe é proparoxitonização ....

    Samatá= sandália que os (as) escravos (as) usavam só quando acompanhavam as patroas nas visitas ou quando eles (as) iam à missa aos domingos segurando o guarda sol...
    Incil. Luso Brasileira 1745.

    Portanto: Samatás já eram usadas com esse nome antes da chegada da bifalhada!

    Saudações e optima estadia em terras Lusas!

    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Caro Mendes:

    Foi pena não estares connosco mas espero que teremos oportunidade de nos encontrar nesta bela cidade-capital.

    Como disse (e repito) , respeito todas as versões sobre a origem desta (e de outras palavras) mas, por mim, essas buscas dos tempos dos escravos & C° continuarão a ser teorias. Nunca vi os tais "descendentes de escravo" (?) na nossa terra com "samatàs" ou qualquer coisa semelhante. Andavam sem sapatos; portanto isso é outra estôria que ouvirei, sim senhor, continuando a crer na versão relacionada com os bifes (summer time).

    ResponderEliminar