domingo, 1 de novembro de 2015

[8602] - DESPERDÍCIO CRIMINOSO...

QUANDO CHOVE SOBRE S.VICENTE (CABO VERDE), O QUE É RARO,
MAIS DE NOVENTA POR CENTO DA BENDITA ÁGUA ESCORRE
PARA O MAR, ARRASTANDO TONELADAS DE TERRENO ARÁVEL...


É preciso perceber que obras de Hidráulica não são só barragens (que se forem mal concebidas podem resulta em fracasso como vimos recentemente)... Longe disso! O que é mais importante, talvez mais caro, mas duradouro, são: a correcção torrencial, a arborização, a florestação, a retenção dos solos, o que garante um maior poder de penetração das águas fluviais para o lençol subterrâneo.  Este tipo de obras, que foram inauguradas desde o tempo colonial e que tiveram um grande impulso com a independência, parecem hoje não ter a continuidade desejada! As barragens serão, então, 'poudre aux yeux'!! Grandes projectos de hidráulica e conservação de solos é o que S. Vicente precisa, pois não é agradável ver tanta água a ir para o mar quando devia ir direitinha para os lençóis freáticos ou reservatórios. - (José Fortes Lopes).


3 comentários:

  1. Um destaque no ArrozCatum:
    S. Vicente o eterno problema das Chuvas Torrencias e a Erosão dos Solos.
    É preciso alertar aos poderes que estes problemas vão tender a se alastrar à medida da Urbanização galopante e caótica em que se constroi 'à tout va' em tudo o que é sítio, sem um plano de ordenamento urbano, e sobretudo nos leitos das ribeiras. Neste aspecto as imagens aéreas que foram disponibilizadas pelo Clube Matiota há alguns meses dá a ideia do enorme escândalo que é o urbanismo nas periferias da cidade do Mindelo (a ilha que era a mais ordenada de CV) e logo de todo Cabo Verde.
    Numa urbanização caótica a água como é imparável vai encontrar o seu caminho sózinho. Se a isto se acrescentar betão, sem que os problemas de escoamento sejam resolvidos, então temos um Coctel perfeito. Ou seja uma simples chuva forte poderá ter o mesmo efeito que uma grande cheia. É por isso que basta que chova um pouco e vê-se as ruas do Mindelo alagadas. Atenção que as Mudanças Climáticas parecem estar mesmo a sério…..
    Por outro lado num país árido como CV nenhuma gota de água devia ir para o mar. Recorde-se que a questão das Chuvas Torrencias e da Erosão dos Solos, estavam incluídas nas campanhas do Paigc em 1960 que criticava o governo colonial por não fazer nada para resolver estes problemas numa altura em que a seca grassava o arquipélago e se alastrava por todas as ilhas com os seus impactos socioeconómicos. Para quem tem memória curta recorde-se que o PAIGC-CV ganhou o poder em Cabo Verde à custa de promessas incumpridas fazendo sonhar a geração mais nova por el Dorados e Terra prometidas em Cabo Verde.
    Afinal 40 anos depois da Independência em S Vicente e a maior parte de CV, as Chuvas Torrencias e a Erosão dos Solos continuam a ser um problema !!!
    Os amigos me desculpem mas estas coisas devem ser ditas, doa a quem doer, e os culpados responsabilizados. Não se pode ter memória curta !!

    ResponderEliminar
  2. Pedir desculpas qual quê !!!
    Estes factos devem ser trazidos tantas vezes quantas possiveis. Lembrar é um dever que nos cabe a todos; não é nenhum mexerico ou ofensa à boa gente. Portanto nôs é que agradecemos aos vasculhadores, aos blogueiros e aos comentadores. Todos devem estar felizes por contribuirem na modelagem para uma vida melhor que virà mais cedo que tarde. Tudo depende de quem tem o boletim de voto e souber utilizà-lo conscienciosamente.
    Venham mais factos e mais comentàrios.

    ResponderEliminar
  3. Os mindelenses se ficarem à espera que o Governo faça obras podem deitar e dormir pois já está mais que demonstrado que o Governo é insensível ao bem estar das populações e ao conforto dos cidadãos que governa e só fazem obras "paquê, paquê" como se diz . Cabo Verde entrará nos eixos somente quando houver gente desprendida e cabeças pensantes que se preocupem com o verdadeiro bem estar e desenvolvimento do país. Agora, como está o que fazem é só tapar buracos e esperar pelas ajudas externas. Acredido que não será nos meus dias que este trabalhos vão ser feitos, e à cautela já me preveni com umas botas de borracha e uma balsa para os dias de cheia.

    Matrixx

    ResponderEliminar