segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

[8961] - DECLARAÇÃO CAFEANA...

João Branco
O meu amigo Salvador Mascarenhas, que em boa hora resolveu regressar a Cabo Verde e fincar os pés no chão, lembro algo que me parece básico: não faz sentido que deputados que concorrem pelos dois maiores partidos para o círculo eleitoral de S. Vicente, não só não vivam na ilha, como digam abertamente que não o pretendem fazer. Como ele pergunta, e bem, "casta de representação é essa?"

Eu concordo, e falando em fincar os pés no chão, considero que é de uma suprema hipocrisia virem com listas onde estejam políticos que passam em S. Vicente apenas no Carnaval e no festival Baía das Gatas, isto é, quando passam. Que ao longo de uma legislatura botam faladura no Parlamento uma ou duas vezes lembrando dos problemas da ilha, sendo que se for de uma cor acusam a Câmara Municipal dos desmandos, se for da outra cor, o culpado pelo "abandono a que S. Vicente está sujeito", é o governo centralista.

Até quando?

Por isso, com todos os defeitos ou incoerências que lhe possam apontar, admiro o político Onésimo Silveira. Foi o único que conseguiu quebrar esta dicotomia partidária que, infelizmente, não muda de discurso, nem de postura, nem demonstra uma ponta de criatividade, ao menos isso! 

Finalmente, virem falar de renovação é outra forma de troçar com o povo desta ilha. A gente olha para as listas e pergunta: renovação é ess? Bzot ta maj é na brinkadera! (in Café Margoso)

1 comentário:

  1. Isto é a verdade mais evidente sobre essas hipócritas "deputanças". Sobre este assunto, poderia desenterrar algo do que já escrevi, mas acho que não vale a pena. Por isso é que vimos defendendo uma reforma do Estado que, em toda a linha, mude este estado de coisas e ponha moralidade na política cabo-verdiana.
    Quando desaparecer o Onésimo Silveira a ilha ficará órfã.

    ResponderEliminar