terça-feira, 5 de abril de 2016

[9089] - ANTECIPANDO O PROGRESSO...


Para o caso, não interessará, mas o fotografado frente ao LGE chamava-se - ou chama-se - João Santos e creio que era filho do patrão-mor que precedeu o pai do amigo Djack, e meu companheiro de muitas horas...
Mas, não é ele o importante (ou o mais importante) que trás a foto ao Arrozcatum... Num altura em que as fotografias a cores eras uma raridade que custava os olhos da cara, alguns fotógrafos tinham a arte de colori-las, com materiais especiais e com efeitos de rara perfeição como era o caso do Djessa Melo e do Silvestre Rocha...
Claro que eu não tinha os tais materiais especiais para colorir fotos a preto-e-branco... Esta é uma das várias experiências levadas a cabo com o recurso ao estojo de... aguarelas!

5 comentários:

  1. Ora tendo a gente chegado a São Vicente em 1962 e partindo do princípio de que o anterior patrão-mor também fez uma comissão de três anos, o sujeito terá chegado ao Mindelo aí por 1959, mais coisa, menos coisa. De qualquer modo, e embora não me lembre do nome dele, sei que tinha uma filha e não um filho.

    Braça filial,
    Djack

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Felizmente que temos o Val para desfazer dúvidas...
      Braça "patrãomonial",
      Zito

      Eliminar
  2. Por volta de 1945, 46, outro rapaz da nossa idade, residiu na Capitania com os pais. Se ele não falava o crioulo, esteve no liceu, participava nas brincadeiras e era "màs buzode ainda di qui qualquer mnine d'Soncente". Jogava pelo Atlético (clube dos alunos do 1° Ciclo) que tinha o Du Fialho como animador com a condição de lhe darem "2 pães com manteiga inglesa". O exercia as mesmas funções que o do Djack e ele era o "João do Patrumborio".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desculpem, p.f. - No final do comentàrio era para dizer: "O pai dele exercia... "

      Eliminar
    2. Obrigado, Val...Era mesmo esse!
      Braça
      Zito

      Eliminar