quinta-feira, 23 de junho de 2016

[9367] - MAIS, SOBRE ARTESANATO...




Depois de ter "abandonado" Mindelo, em 1977, voltei lá com a Maiúca, em 2000, por uma semana, seguida de uma estada de outros sete dias na Praia onde, na altura, vivia o meu cunhado Rogério, entretanto, prematuramente desaparecido...
Numa loja localizada, então, na Praça Nova, por baixo do Hotel, especializada em artesanato e que não sei se ainda existirá, adquiri, entre outras coisas, este quadro, de um artista de Santo Antão...
Refira-se que a matéria-prima de base é folha de bananeira seca e as figuras do bote, do tronco de madeira e do calafate são altos-relevos aplicados ao quadro por um engenhoso processo de colagem...
Já não me recordo quanto paguei pela obra mas, dada a mediania-baixa das minhas posses não foi, decerto, nenhuma fortuna, tratando-se, pois,  daquele tipo de peças que facilmente se colocam em mãos de turistas bem endinheirados, num patamar de valor artístico que eu colocaria bem acima da mediania do artesanato mais ou menos naif habitual...
Prometo outras viagens pelo tema!


2 comentários:

  1. Boa peça! Em 2002 ainda lá vi a dita loja.

    Braça com canivete, alicate, tesoura e etc.,
    Djack

    ResponderEliminar
  2. Eis um perfeito exemplo do que pode tipificar o nosso artesanato.
    Isto está simplesmente fantástico. Quase que se ouve o quebrar das ondas e o piar dos pássaros ap longe. A composição é plena de dinamismo nos seus elementos integrantes. Sente-se o vaivém das mãos do carpinteiro e o som cavo da sua ferramenta na quilha do bote. Diria que este quadro é genuinamente cabo-verdiano, mas outros do género se podem criar e confeccionar.

    ResponderEliminar