quinta-feira, 21 de julho de 2016

[9479] - POEIRA DOS TEMPOS...


O Artur Mendes enviou-me uma foto parecida com esta pois é de menores dimensões e não tem as anotações que referem, conforme a ajuda do Valdemar, "manifestação fúnebre"...Estoutra encontrei-a em buscas no Google e mostra tratar-se eventualmente, de um enterro, a julgar pela presença do que parece ser uma bandeira e um estandarte.
Outra estranheza advém da presença de homens fardados, nomeadamente, marinheiros que não parecem autóctones mas portugueses aí dos anos 1920...
Uma ultima particularidade reside naquilo que parece ser um tracejado manual a vincar as arestas do casario ao fundo, por detrás do estandarte.
Saberá, alguém, o verdadeiro significado daquela expressão "Bando Precatório"?...

5 comentários:

  1. Sem certeza absoluta mas com grande probabilidade, trata-se de um bando precatório constituído por elementos da guarnição da canhoneira "Zambeze" a favor das famílias das vítimas da revolução de 5 de Outubro de 1910. Tenho um postal semelhante a este que o indica. Portanto, é de facto de funerais... e de tratamento de feridos que se trata mas de gente que sofreu durante esse evento e não do funeral do Djosa, o homem que ninguém desejou que morresse em S. Vicente... Ó Djosa, quem mandób morrê?

    Braça dentro do esquife,
    Djack

    ResponderEliminar
  2. Ver este velho post do Praia de Bote:

    http://mindelosempre.blogspot.pt/2013/03/0395-peditorio-em-sao-vicente-para-as.html

    ResponderEliminar
  3. Obrigados, Djack, assim ficam as duvidas dissipadas e, pelos vistos, aquilo que me parecia uma bandeira transportada de forma pouco formal, seria o alforge onde as pessoas depositavam as suas espórtulas, provavelmente...
    Braça doloroso,
    Zito

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. EXACTAMENTE!

      Braça com pedido de dinheiro em terra de pobre,
      Djck

      Eliminar
  4. Parece que está tudo explicado, graças ao Djack.

    ResponderEliminar