sexta-feira, 14 de outubro de 2016

[9786] - A "BELLE ÉPOQUE" MINDELENSE...


Mindelo antigo, Mindelo da "belle époque"...Um olhar sobre as lojas, os bazares de outrora...

BAZAR CENTRAL

Nunca um nome foi mais justo como o do estabelecimento de Nhô Pidrim Bonucci, bem situado no centro, no coração do Mindelo.
Ali, era o lugar dos encontros da sociedade mindelense que ia consumir e conversar, depois de um dia de trabalho, comodamente instalados em cadeiras de verga.
Estas fotos, possivelmente datadas dos inícios do século 20, retratam bem o Mindelo da "Belle Époque", o Mindelo romântico.
O Bazar Central vendia de tudo e, além da loja, funcionava como pastelaria, e dispunha também de um espaço onde se podia jogar o bilhar. Em cima ficava a Pensão com o mesmo nome, que mais tarde seria rebaptizada de Pensão Chave D'Ouro.
Muitas vezes, nas suas horas de lazer, à porta do "CENTRAL", podia-se encontrar o doutor Regala, rodeado de pacientes de menores recursos, que o iam procurar lá, e a quem ele atendia gratuitamente, receitando, sempre com uma palavra de encorajamento.O seja, além de estabelecimento de comércio, o Bazar Central funcionava como uma espécie de consultório médico popular.
No Mindelo de outros tempos, esse cruzamento da rua de Lisboa era ponto de encontro para o consumo, para o convívio, mas também para louváveis acções sociais... (Lucy Bonucci)



2 comentários:

  1. Mindelo de antigamente. O que não seria hoje a cidade se ela tivesse podido continuar com a mesma lógica urbana do ponto de partida.

    ResponderEliminar
  2. Homenageamos os ícones e a tendência é de esquecer a raia miúda. Pessoalmente gosto de lembrar os tijolos com que se constroem os edifícios ou que, se não constroem, ornam.
    Na Central havia de tudo como já foi dito e corroborado aqui e no "Praia de Bote", arautos dos emigrantes ou "deslocados que tiveram de partir e esqueceram o umbigo". Mais curioso se torna porque os administradores não nasceram mas... ali foram criados e tão acarinhados que sentem a mesma doença. Bem,
    Falam de Nhô Pidrim, de Sr. Leça, do Dr. Regala (como eram conhecidos) mas só o Zito deve lembrar-se de uma figura que era um "apêndice" desse estabelecimento.
    Ali, por baixo dessa frondosa árvore, o cidadão Caetano - deficiente físico - exercia o seu mister de engraxador. E não só... dava dinheiro emprestado. Cada um vive como pode e deve, n'ê devera?
    E socorrer os necessitados já é obra.
    Ê verdade. Na Central havia de tudo.

    ResponderEliminar