sábado, 15 de outubro de 2016

[9794] - MOMENTOS DE HISTÓRIA...

CABO VERDE NA I GRANDE GUERRA
1914 - 1918



Na época a maior parte dos navios utilizavam carvão como combustível, o Porto de São Vicente tornou-se num dos principais depósitos de hulha negra do Atlântico Sul. Um outro factor que colocava Cabo Verde como um ponto estratégico do Atlântico Sul era o "cabo submarino", na realidade nove cabos, que se encontrava amarrado à Ilha de São Vicente, junto à localidade Mindelo, que era a base das comunicações intercontinentais do Hemisfério Sul. Tanto o depósito de carvão como o cabo submarino eram pertença de firmas inglesas que aí se tinham estabelecido.

Portugal tinha como triângulo estratégico das bases militares navais Lisboa-Açores-Cabo Verde, que dominavam as comunicações de todo o Atlântico. Em 1911 foram efectuados estudos para a defesa militar de Cabo Verde e em particular para a criação de uma base militar e naval na Ilha de São Vicente, sobre o Porto Grande.

Cabo Verde - Rotas do Atlântico

São estes dois factores que tornaram a Ilha de São Vicente um alvo estratégico durante a Grande Guerra para os submarinos alemães.

Os Governadores de Cabo Verde 1914-1918

JUDICE BIKER - 1911/1915

 FONTOURA DA COSTA - 1915/1918

 TEÓFILO DUARTE - 1918/1919

O Porto de São Vicente apesar de estar colocado estrategicamente a meio das rotas vindas da África do Sul (Cape Town)e Brasil (Rio de Janeiro), tinha como concorrentes comerciais os portos espanhóis das Canárias, de Tenerife e de Las Palmas, situados a Norte e os portos franceses de Marrocos, de Casa Blanca e de Dakar, situados a Sul.

 A localização natural do Porto Grande favorecia a função de porto de escala, para o reabastecimento de combustível, tanto carvão como água e mantimentos frescos, para as rotas vindas do Oriente via África do Sul, como da América do Sul, Brasil e Argentina. A utilização do porto de Casa Blanca ou de Dakar significava mais 18 horas de navegação para os navios que vinham da América do Sul,  acrescentando ainda as piores condições de navegabilidade desses portos comparados com o Porto Grande de São Vicente.

No entanto, o porto de Dakar apresentava uma melhor defesa militar do que o Porto Grande de São Vicente, que era assegurado por obras de fortificação, uma forte guarnição em terra e por várias unidades navais, adstritas ao comando do porto, sob o comando de um general do exército francês. Dadas condições físicas do porto era obrigatória a pilotagem para todas as embarcações que aí pretendessem fundear ou acostar aos cais.

Porto de Dakar - Senegal

Uma segunda vantagem estava no facto de se centralizarem em Cabo Verde as comunicações telegráficas e comunicações postais internacionais, que ligavam os países do hemisfério Sul com os do Norte. A rota Cabo Verde-Lisboa tinha ainda um ponto de apoio logístico, a Ilha da Madeira.

Se por um lado o Porto Grande apresenta condições físicas excepcionais de navegabilidade e de ancoradouro para os navios fundearem ou acostarem, a Grande Guerra de 1914 a 1918 determina-lhe a decadência mercê da falta de protecção e de meios militares de defesa, que viriam a torná-lo num alvo dos ataques dos submarinos alemães.

Os vapores de passageiros ,ou de carga, que rumavam através da rota da África do Sul, passaram a fazer escala em Dakar, que entretanto se tinha tornado num porto mais seguro, ficando apenas com alguns vapores que vinham da Argentina, que por falta de capacidade de paióis de carvão, ou por algum temporal, não conseguiam chegar às Canárias. Mesmo depois de terminada a Grande Guerra o Porto Grande de São Vicente não voltou a ter mais a importância que tinha conseguido antes do conflito mundial.  Em 1924, dos 17.000 vapores que cruzaram as águas de Cabo Verde apenas 1.145 entram no Porto Grande de São Vicente para tomar combustível.

 Porto Grande - Plano das Instalações Portuárias em 1918

CONTINUA...

Do site "Momentos de História"
Carlos Alberto Lopes

Colaboração de
Manuel M. Silva





2 comentários:

  1. Confirma-se assim a importância estratégica do arquipélago de Cabo Verde e em particular o Porto Grande do Mindelo em S. Vicente. Contra factos históricos não há argumentos, ou seja não vale a pena tentar menosprezar a história contemporânea de Cabo Verde que teve lugar nesta ilha em favor de narrativas de cunho estritamente ideológicos para descrever factos não comprovados historicamente.
    Toda a história do arquipélago de Cabo Verde mudou, quando em inícios do século XIX uma ilha. S. Vicente. situada num arquipélago perdido no meio do Atlântico Cabo Verde converteu-se num ponto estratégico seguro e num nó na densa rede de comunicações e de serviços ultramarinos e coloniais do Reino Unido.

    ResponderEliminar
  2. É um importante documento histórico. Pena foi o Porto Grande não ter merecido o apetrechamento que a sua posição geoestratégica exigia.

    ResponderEliminar