segunda-feira, 24 de outubro de 2016

[9828] - COMEMORAR O SABER...

No próximo ano comemoram-se em Cabo Verde dois factos, ligados ao ensino, de assinalável transcendência: 150 anos do Seminário-Liceu de S. Nicolau, e 100 anos do ensino secundário oficial em S. Vicente, a que está indissoluvelmente ligado o nome do Liceu Gil Eanes...
Já circulam nos meios da difusão electrónica algumas alusões que tendem a chamar à liça o maior  numero possível de ex-alunos para realizações que, logicamente, terão que ter, também,  o total engajamento das entidades oficiais as quais, no entanto, parece que, por ora, apenas respondem com um silêncio sepulcral...
Estamos em crer que, em devido tempo, aparecerão os necessários incentivos e iniciativas por parte do Governo e dos muitos antigos alunos espalhados pelo mundo...
Da nossa parte, as portas do Arrozcatum encontram-se escancaradas a tudo e a todos para o que quer que possam ser úteis para os efeitos que se desejam...Apareçam!


3 comentários:

  1. COMEMORAR O SABER... EM 2017: DOIS MARCOS HISTÓRICOS 150 ANOS DO SEMINÁRIO-LICEU DE S.NICOLAU E OS 100 DO ENSINO SECUNDÁRIO OFICIAL DE S. VICENTE: DO OBSCURANTISMO À CLARIDADE.
    SERÁ QUE NO PAÍS DOS FESTIVAIS, O SABER TEM AINDA DIREITO A SER COMEMORADO CONDIGNAMENTE? ESTA É A QUESTÃO QUE NOS COLOCAMOS!!
    RECORDEMOS QUE OS FESTIVAIS EM CABO VERDE ORGANIZAM-SE COM UM ANO DE ANTECIPAÇÃO, CONTANDO COM O SEU FINANCIAMENTO E ORGANIZAÇÃO, E QUE NÃO FALTAM FINANCIADORES, NOMEADAMENTE AS CÂMARAS.
    DEPENDENTE DA FORMA COMO ESTAS DUAS EFEMÉRIDES FOREM COMEMORADAS, 2017 VAI SER O ANO DO TESTE, O ANO DA PROVA: VAMOS SABER QUE TIPO DE SOCIEDADE E PAÍS É CABO VERDE HOJE.
    NÃO POSSO ANTECIPAR NENHUM RESULTADO

    ResponderEliminar
  2. Este Post teve, apenas, um comentário amigo mas regista neste momento, 21H00 do dia 25 de Outubro, 100 visualizações...Quer isto dizer que há muita gente interessada no assunto e muito pouca com opiniões sobre o mesmo...Típico!

    ResponderEliminar
  3. Este evento deve merecer toda a atenção das autoridades governativas e a adesão dos cabo-verdianos, cada um participando consoante as suas possibilidades.

    ResponderEliminar