segunda-feira, 14 de novembro de 2016

[9910] - SAUDADES DA MINHA CIDADE...


Senti saudades da minha cidade.
MINDELO.
Esta é a cidade que cheira a mar,
Suas iluminadas casas 
Firmes no tempo, 
Lojas antigas de odor baunilha,
Olfacto é memória na 
Minha origem,
Miríade de peixes,
Argentinas escamas,
Seu mercado de peixe, das alvacoras
Contos e coitos,
Lua de prata dos trovadores,
Quaternário compasso 
Morno das Mornas,
Barbearias e espelhos
Tesouras doiradas,
Chovem cabelos de outros mundos,
Flores que brotam a mestiçagem
Violinos em transe falam
Com Deus, cidade de pássaros,
Asas abertas, luz de mulher,
Curvas e montanhas, melaço de cana, 
Sorriso de crianças as seis da tarde,
Minha cidade de dor e beijos,
Casas de lata, palácios e mortos,
Velha cidade, a beira-mar.

Tchalé Figueira
.

1 comentário:

  1. Belo poema sobre a nossa ilha. Nos versos se reconhece o seu rosto e a sua alma.

    ResponderEliminar