sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

[9970] - TI LOBO E CHIBIM...



Cauberde nunca se afirmará linguística, histórica e culturalmente contestando, mas sim assumindo-se!
“Ti Lob e Chibinh” é uma história tipicamente cauberdiana – cauverdiana-, contada em Casa, nas famílias. Eu e os meus irmãos conhecemo-la desde “rapazes novos”.
A história que segue em anexo – “Adiu e Cambel”- é contada em Damão. Pois aqui encontramos uma pertinente relação entre elas: o fundamento moral e social é o mesmo. A amizade, a amizade interessada, a esperteza, o logro, a intrujice, o abuso de coisa alheia, a consequência, a resposta inteligente, a ironia que é uma caraterística dos textos crioulos.
Proponho ao jovem, ao estudante – de História, de Línguas, Linguística, Filologia, Antropologia, Sociologia e outras áreas científicas - a todo o curioso cauberdiano interessado que procure realizar investigação ao nível da antropologia social, cultural e religiosa dos textos de Korlai, Ceylão (Sri Lanka) e Damão, mas não somente. Os resultados serão, seguramente, inesperados e entusiasmantes para qualquer pessoa. Revelarão, estou seguro disso, muitas características do cauberdiano no seu meio familiar, social, cultural e religioso. 
Assim é que em Cabo Verde deve fazer-se, e muito, muito mais: investigar. Tanta e tanta área para fazer investigação científica e obter nova e mais informação. Vejamos, exemplos. 
História: seminário de S. Nicolau- conjura/revolta dos Pintos, Goa, Abade Faria; 1787 – 1850; aquela frase lapidar de Gabriel Mariano de que “em Cabo Verde nunca houve escravatura”.  
Linguística: investigar os crioulos escritos e os falados, diacrónica e sincronicamente; 
Antropologia: analisar o comportamento familiar, social, cultural e religioso da pessoa cauberdiana... 
Apenas pouquíssimos exemplos, dentre inúmeros. Cauberde só está a perder e muitíssimo... “tud paicv e mv e ôtres mas pikinin”. O mal está feito, não há que chorar sobre o leite derramado. É recomeçar, simples, paciência! Recomeçar limpo e nos caminhos da interrogação e da busca pela Verdade Científica, Moral e Sentimental da nossa Nação! Que seja exemplo para todas as áreas académicas/científicas e da nossa sociedade. Que não se repita, nunca mais. Não esquecer, perdoar, no plano moral, não repetir e seguir caminho! - José Gabriel Mariano




2 comentários:

  1. O José Gabriel está assíduo nesta temática linguística e cultural que vem abordando. Oxalá mais patrícios apareçam e enfileirem nas hostes dos opinadores sobre os problemas de Cabo Verde e dos cabo-verdianos.

    ResponderEliminar
  2. "Quem sai aos seus não degenera".
    Espero que venham mais cidadãos porque o tempo urge. Hà que ter o maior nùmero possivel para o ataque a monstruosidade

    ResponderEliminar