domingo, 29 de junho de 2014

[7100] - PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO CULTURAL...




 
 
 
O projecto enquadra-se no Programa Temático da União Europeia para Actores Não Estatais e Autoridades Locais no Desenvolvimento - Promoção da Cultura 2013, estando orçado em 275 mil euros, com Bruxelas a financiar 90% do total
A União Europeia (UE) e a Fundação Amílcar Cabral (FAC) vão lançar a 01 de julho o projeto "Memória sem Confins - A Descoberta de Cabo Verde ", destinado a valorizar os produtos turísticos e culturais cabo-verdianos.
 
Numa nota hoje distribuída à imprensa, a UE indica que o projeto enquadra-se no Programa Temático da União Europeia para Atores Não Estatais e Autoridades Locais no Desenvolvimento - Promoção da Cultura 2013, estando orçado em 275 mil euros, com Bruxelas a financiar 90% do total (243 mil euros).
O projeto, que abrange todo o arquipélago, destina-se a contribuir para o desenvolvimento socioeconómico de Cabo Verde através da "produção de produtos turísticos conexos à valorização dos bens culturais" do país.
Entre os principais beneficiários da ação, lê-se no documento, estão as associações de jovens, mulheres, universidades, operadores turísticos, estruturas dos Ministérios da Cultura e do Turismo, e autoridades locais.
O lançamento do projeto da UE e da FAC, que conta também com a parceria com a Fundação Lelio e Lisli Basso Issoco (ISSOCO), de Itália, decorrerá na Sala de Conferências da Biblioteca Nacional, na Cidade da Praia, na presença do delegado da Comissão Europeia em Cabo Verde, o diplomata português José Manuel Pinto Teixeira.
Ainda no âmbito do projeto, as fundações Amilcar Cabral e Lelio e Lisli Basso Issoco vão também apresentar um outro que prevê a criação de uma secção museológica sobre a memória, atividades de formação e realização de um itinerário turístico-cultural.
 
*Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico aplicado pela Agência Lusa
 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário