sexta-feira, 4 de julho de 2014

[7123] - CABO VERDE E A LINGUA PORTUGUESA (2)...


Esta é a imagem de marca do Senhor António Lopes, no FaceBook, ilustrando um comentário ao assunto versado no Post Nº 7117 - "Cabo Verde e a Língua Portuguesa" e que passamos a reproduzir:
 
"Antonio Lopes Eu acho que eu preciso interpor com alguma razão / fato histórico aqui.
Cabral solicitou que mantemos o idioma Português como uma herança. No entanto, ele não comentou uma só vez em desistir da(s) língua/s ou renunciar a cultura Caboverdiana. Em vez disso! Como você rejeitar do que é seu, porque você encontrar o do outro mais intectual ou mais atraente?
A nossa cultura (crenças e valores compartilhados no arquipelago: a Cognição, costumes, práticas e comportamento socias da da nossa Nação “especial”) é rica em sí porque é diferente. Em seguida, eles vão querer-nos abdicar todo o nosso assunto de culinária, renunciar a nossa música e tradições.
Oh, espere que eles ja tentaram destruir tudo isso, durante cinco séculos sem sucesso.
Se Cabral tivese interesse em manter o status quo por que ele lutou para conquistar a independência?
Talvez esta seja apenas a minha opinião."  - (Ipsis verbis)...
 
Claro que toda a gente tem direito à sua opinião mas creio que o Senhor Lopes deu um pontapé nas evidências e está históricamente mal informado...É pena!

3 comentários:

  1. ALUPEC - CABO VERDE

    Declaração do Direitos Humanos
    "I - TUDU GENTIS TA NASI LIBRI Y IGUAL KU SE DIGNIDADI Y KU SES DIRETU.ES NASI KU INTELIJENCIA E KU KONSCIENSIA Y ES DEBE TEM PA KUMPADERU SPRITU DE MORABEZA"

    Brevemente darei conta do ALUPEQUES de ANGOLA e MOÇAMBIQUE...

    Ou é da vinha vista... ou esta gente anda a navegar na maionese!

    ResponderEliminar
  2. Pois claro que o senhor Lopes está a confundir alhos com bugalhos. O que é que o uso do português pode interferir com os costumes peculiares dos cabo-verdianos? O que é que o comer a cachupa e a moreia frita e o beber grogue podem interferir com o falar esta ou outra língua? E o que é que o falar o português nos impede de cantar a morna com a sua língua própria que é o crioulo?
    Será caso para lhe perguntar se o brasileiro teve de deixar de falar o português por causa do ecletismo dos seus costumes, onde abundam os mais diferentes temperos culturais. Cabral não merece estar no cerne desta confusão de conceitos em que incorre o senhor Lopes.

    ResponderEliminar
  3. Este post do Sr Lopes é a magna confusão. Coitado do Amilcar lá onde está deve contemplar isto tudo com pena. O Intelectual como era ele usado para se defender as maiores ignorâncias e barbaridades

    ResponderEliminar