domingo, 13 de julho de 2014

[7166] - CRÓNICA EVENTUAL...

Foto Google
ALEMANHA 1 - ARGENTINA 0
...oOo...
E, A ALEMANHA, É CAMPEÃ DO
DO MUNDO!
 
Acabou...E, não fora um golo de excepcional execução técnica de Mário Götze, já na segunda parte do prolongamento do encontro, e este jogo "pobrezinho" teria sido uma perfeita desilusão...
A Argentina jogou na expectativa e faltou aos seus jogadores o talento necessário para aproveitar as duas oportunidades de golo feito que os germânicos lhes ofereceram, de mão beijada...Alguns jogadores alemães apresentaram-se muito abaixo de outras exibições o que veio a reflectir-se, de forma negativa, na manobra da equipa, hoje,  muito longe daquela máquina habitual...
O árbitro italiano foi por demais condescendente sob o ponto de vista disciplinar...Tenho as minhas dúvidas que o jogador alemão que foi forçado a sair amparado por dois elementos da comitiva germânica não tenha sido agredido...
Uma palavra para a "eleição" de Messi como o melhor jogador do Campeonato, com gosto a compensação pelo revés argentino, quando muita gente, nós incluídos, teria votado no holandês Robben...
Por ultimo, refira-se que o jogo terminou, hoje, com a quase totalidade dos 22 jogadores arrastando-se penosamente pelo relvado, numa clara manifestação de que é uma violência obrigar estes profissionais ao esforço hercúleo de um Campeonato do Mundo, depois de uma época mais que desgastante nos seus clubes de origem...Julgamos que é urgente estudar uma alternativa menos exigente e mais de acordo com a dignidade e a capacidade física dos futebolistas...
Numa última palavra, atrever-me-ia a afirmar  que este foi um Mundial que não deixa grandes saudades!
 
 

6 comentários:

  1. Esta análise corresponde nas suas linhas gerais ao que eu penso. O facto de os guarda redes terem sido os maiores protagonistas desta COPA oferece duas leituras possíveis: ou o futebol moderno está a produzir grandes guarda redes ou estamos a atravessar uma crise de grandes finalizadores. Inclino-me para a segunda hipótese.
    Mas o Zito faz uma observação pertinente quando diz que os jogadores, principalmente dos principais campeonatos europeus, chegam a esta fase completamente esgotados, sem condições de razoável frescura física que uma prova deste nível devia exigir. Eu penso que tudo isto resulta do facto de o futebol se ter tornado um grande negócio e em toda a linha. Por exemplo, a Taça da Liga veio acrescentar mais competição às pernas dos jogadores mas sem se credibilizar como tal. Viu-se em que estado chegou ao fim o Benfica este ano por ter competido em todas as frentes até ao fim.
    Continuaremos depois que já é noite avançada.

    ResponderEliminar
  2. A Copa Brasil:

    " Isso representa mais que um simples jogo!
    Representa a vitória, da competência sobre a malandragem! serve de exemplo para gerações de crianças que saberão para que q...ra vencer na vida tem-se que ralar, treinar, estudar!
    Acabar com essa história de jeitinho malandro brasileiro, que ganha jogo com seu gingando, ganha dinheiro sem ser suado, vira presidente sem ter estudado!
    O grande legado desta copa é exemplo para gerações do futuro!
    Que país é feito por população honesta, trabalhadora, e não por população transformada em parasita por um governo que nos ensina a receber alimento na boca e não a lutar por obtê-lo!
    A Alemanha ganha com mestria e merecimento. Que nos sirva de lição!
    Pátria amada Brasil tem que ser amada por todos os dias, no nosso trabalho, no nosso estudo, na nossa honestidade!
    O Brasil cansou traído por seu próprio povo!
    Que sirva e lição para que nos agigantemos para construirmos um país melhor!
    Uma verdadeira nação que se orgulha de seu povo, e não só do seu futebol!"

    JÔ SOARES

    ResponderEliminar
  3. Eu diria que não foi propriamente a Alemanha que esteve abaixo das suas possibilidades, mas que a Argentina que não lhe abriu as avenidas para passear o seu futebol como fez o Brasil. É um facto que este jogo não fica para a História porque normalmente os jogos de contenção táctica nunca o ficam.
    O que aconteceu ao Brasil por certo serviu de lição, mas também o que se poderia esperar de uma equipa que cometeu erros colectivos incompreensíveis e falhas individuais (na defesa) que nem é comum ver nos escalões inferiores do campeonato português? Nesse jogo, os alemães não precisaram de vestir o fato-macaco pois acharam que aquelas avenidas oferecidas pelo aniversário eram dignas de uma passeata de smoking.
    Nesta Final estive a torcer pela Argentina, não porque deteste o futebol alemão, mas porque a minha expectativa era ver até que ponto iria a invencibilidade dos germânicos. A história do jogo seria provavelmente outra se a Argentina tivesse marcado numa daquelas oportunidades que teve.

    ResponderEliminar
  4. Li que no Brasil estão a pensar em medidas sérias para reformar o futebol dos clubes e da selecção. Por exemplo, proibir a saída para clubes estrangeiros de jogadores ou promessas de jogadores em idade muito jovem, e também utilizar na selecção apenas jogadores que actuam nos clubes do país. Creio que entre o 8 e o 80 poderá sair uma solução.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exacto...Já a esse fundamentalismo me tinha referido nos comentários ao Brasil-Holanda...
      Estou, no entanto, convencido que, no final, prevalecerá o bom senso e, neste caso, ele aponta PARA UM REGRESSO AO PASSADO...

      Eliminar
  5. A vitória da planificação, da competência e do trabalho!!!
    E ainda com uns laivos de virtuosismo, que em tempos foi exclusivo dos sul-americanos... perfeito!!

    Evitável e lamentável, aquele prémio de consolação atribuído pelos membros acéfalos da FIFA ao Leo Messi... Alguem percebeu? acho que nem ele!!!

    ResponderEliminar