segunda-feira, 4 de agosto de 2014

[7253] - MORREU JORGINHO FONSECA...


RESPEITOSAMENTE, REVERENCIO A MEMÓRIA
DE UM GRANDE DESPORTISTA E DE UM AMIGO
INSUBSTITUIVEL...
MAIS UM MINDELENSE DO CORAÇÃO QUE NOS
ABANDONA MAS CUJA MEMÓRIA ESTOU CERTO QUE
MUITOS DE NÓS MANTERÃO PARA SEMPRE!
ADEUS, AMIGO, REPOUSA EM PAZ!



8 comentários:

  1. Bom Homem. Homem de mar...

    Com o Djibla foi um grande impulsionador da pesca submarina... É assim que o recordo,

    RIP.

    ResponderEliminar
  2. Uma grande figura do Mindelo (e de Cabo Verde) e para além de desportista um grande empreendedor e fundador da Congel. Ver aqui (é necessário copiar e lançar no Google) http://noticias.sapo.cv/info/artigo/1052678.html
    e aqui
    http://mindelosempre.blogspot.pt/2014/01/0702-mais-um-edificio-arder-no-mindelo.html

    Braça,
    Djack

    ResponderEliminar
  3. Falei ontem de manhã (no Praia de Bote) do Jorgim Fonseca e da sua familia e, pouco depois, o meu irmão deu-me a infausta noticia da sua morte, digamos, esperada devido o estado avançado da sua doença.
    Conheci o rapaz muito cedo pois os seus pais foram os padrinhos de casamento dos meus. Depois encontramo-nos em Lisboa (fins de 1974) para, com o Eng° Fonseca e outros, militarmos para a nossa terra e encontravamos sempre na Associação dos Antigos Alunos.
    Que a terra lhe seja leve.

    ResponderEliminar
  4. Eu nem falei disso, pois a coincidência foi demasiado forte. Parece que estávamos a adivinhar...

    Braça,
    Djack

    ResponderEliminar
  5. Estive com o Jorgim Fonseca há uns 4 ou 5 anos na casa do Zeca Matos, em Setúbal, por este ter convidado alguns amigos conterrâneos para a festa do seu aniversário.
    O Jorgim Fonseca esteve sempre bem disposto e a contar estórias pirracentas, bem ao seu estilo. Disse na altura que tinha um problema da próstata mas que não fazia a respectiva operação porque preferia morrer a ser "capado". Isto dito com a sua exuberante graça natural e a maior das descontracções, razão por que lembro o episódio, convencido de que não se importaria que eu aqui o referisse. Levou vários exemplares do seu livro sobre pesca submarina para vender e fui um dos compradores porque há muito andava com interesse em adquirir as memórias daquele que foi um grande desportista da modalidade na nossa terra. Um verdadeiro campeão.
    Ele terminou a sessão contando uma longa e divertida história. A minha mulher riu-se com gosto.
    Paz à sua alma!

    ResponderEliminar
  6. Acho que as cinzas deste grande lobo do mar deveriam ser lançadas no mar do Tarrafal de Monte Trigo, onde, por acidente de pesca submarina, morreram os amigos Augusto Nolasco e Pedro Bubista. O Jorginho era o modelo tipico do Mindelense da Rua de Lisboa com o seu humor critico e as suas anedotas. Inconformado com o partido unico partiu em 1975 para o exilio. Paz a sua alma!.
    Luiz Silva

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado por mais esta visita, amigo, e peço desculpa pelas dificuldades que parece ter encontrado para editar os seus comentários...Como costumo dizer, a Net tem razões que a própria razão desconhece e que Pascal nem sonhava...
      Senti, particularmente, a morte do Jorginho ou Jorgim, se se preferir, pois tive com ele estreitos laços de amizade e de colaboração comercial...Na realidade concebi uma campanha publicitária para a Água do Luso, que a Casa Madeira representava, no tempo de um "slogan" dos mais felizes que eu conheci: LUSO, A SEDE QUE SE DESEJA!
      Também conheci bem e muito senti o desaparecimento do Nolasco e do Bubista...
      Abraço fraterno,
      Zito

      Eliminar