domingo, 7 de setembro de 2014

[7369] - BAÍA-DAS-GATAS, AQUI TÃO PERTO...

Praia de Almograve - Odemira

Há dois dias, à tardinha, recebi uma mensagem no meu telemóvel, da minha filha Paula que estava com a família em férias no litoral alentejano...Dizia: "Estamos numa praia que logo que a vi pensava estar na Baía das Gatas...Chama-se Almograve e passa a ser a minha praia favorita"... Respondi, dizendo-lhe que "as raízes não se esquecem!"
A semelhança parece-me evidente mas, a Paula, tinha 12 anos quando viu a Baía-das-Gatas pela ultima vez e, depois disso, já esteve em centenas de outras praias, em várias partes do mundo, incluindo Nantucket, não longe de Boston, USA.
Mau grado isso, trinta e sete anos mais tarde, a memória respondeu instantaneamente à vista de algo que parecia ser coisa vista e revista, vezes sem conta, na idade da inocência e da despreocupação, mas que, afinal, havia ficado gravado, de forma indelével, no escaninho onde se acolhem as coisas belas da vida...
Não tenho, pois, a menor dúvida: as raízes, jamais se esquecem!
E que viva "Almograve", a Baía-das-Gatas do Alentejo!

2 comentários:

  1. Realmente fez-me lembrar a Baía-das-Gatas, não só pelas ondas atrás das rochas e a formação de "piscinas", mas também pelo cheiro maravilhoso a maresia e as rochas cheias de lapas. Só não havia ouriços... Realmente regressei á infância maravilhosa que os meu pais me proporcionaram e as raízes jamais se esquecem. Beijinhos papá! :)

    ResponderEliminar
  2. Foram tempos da mais pura bonança...Como hoje muita gente pensa, éramos felizes e não sabíamos! Mas, por mais ventos e marés que tenhamos que enfrentar, jamais apagarão da nossa memória os sítios e a gentes que também me moldaram como sou...Os ventos da História já nada podem contra as nossas convicções! Beijinhos, filha querida!

    ResponderEliminar