sábado, 13 de setembro de 2014

[7400] - ACORDOS DE PESCA DA UE ...


Em aditamento à postagem anterior (7399), vimos reproduzir o que nos foi possivel confirmar no que se refere às proporções dos acordos de pesca celebrados pela UE com Marrocos e com Cabo Verde.
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
MARROCOS:
- Pesca artesanal pelágica norte;
- Palangreiros atesanais norte;
- Pesca atunal artesanal norte;
- Pesca artesanal sul (linha-salto-vara);
- Pesca de palangreiros de fundo e redes de arrasto;
- Pesca atuneira artesanal;
- Pesca pelágica industrial.
Capturas acessórias:
- 5% de tubarões de profundidade;
- 2% de pesca pelágica industrial de uma lista a fixar.

CABO VERDE:
- Pesca de atuneiros cercadores;
- Pesca atuneira de salto e vara;
- Pesca de palangreiros de superfície.
Capturas acessórias:
- Não autorizadas.
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 
Desejamos que estas informações possam ajudar à acesa discussão que ultimamente tem rodeado a celebração destes contratos.

2 comentários:

  1. Eu só me inclino a concordar com os que têm considerado este acordo ruinoso para a riqueza piscícola do país, além de mal retribuído financeiramente. Se é verdade, é de perguntar o que anda aquela gente a fazer.

    ResponderEliminar
  2. Eu tenho uma ideia do que se passa. Cabo Verde deve receber parte do dinheiro por fora. Por exemplo foi assinado há dias um acordo de apoio orçamental de vários milhões de euros. Pode ser que uma coisa não tenha nada a ver com a outra, mas continuo a ter dúvidas. Compete ao governo de Cabo Verde explicar tudo isso. Caso contrário é que questão para perguntar sobre a quantidade de peixes dos mares de cabo Verde?

    ResponderEliminar