quinta-feira, 25 de setembro de 2014

[7458] - ENQUANTO SE CANTA NÃO SE ASSOBIA...


O lote das rotinas do dia-a-dia cá de casa inclui, às quintas-feiras, uma visita ao Restaurante Estrela do Ocidente, para um "cozido à portuguesa" que, não sendo nenhuma especialidade "gourmet" serve perfeitamente, para manter a tradição e a predilecção...O nome do sítio, remonta, provavelmente, ao tempo em que a zona era conhecida por Queluz Ocidental e é um local aprazível, com um serviço muito razoável, boa clientela e comida saborosa q.b....
Há gente de todo o tipo e de vários tiques mas hoje dei com uma comensal  de um tipo pouco comum: a senhora, cinquentona, e que por vezes se abanava com um leque negro, lacado, degustava um arroz de garoupa fumegante,  enquanto devorava um livro de bolso, elegantemente protegido por uma capa com um fechozinho dourado e tudo e um marcador todo cheio de nove-horas...Era, logicamente, uma devoradora de livros mas, por amor de Deus, um belo de um arroz malandro, ainda por cima de garoupa, merecia outra atenção...Se não, das duas, uma: ou a senhora não fez a mínima ideia do que comeu ou deve ter esquecido o que leu, na hora, se chegou a sentir o sabor e o aroma do apetitoso manjar!
Claro,  que as pessoas têm todo o direito às suas idiossincrasias mas, ou me engano muito, ou essa coisa de comer a ler, ou de ler a comer, não  parece que acrescente o que quer que seja ao estatuto social de ninguém!
E, por outro lado, ele há coisas que requerem toda a nossa atenção, direi mesmo, toda a nossa concentração...Comer e ler, são duas delas!  

3 comentários:

  1. Caro Zito, não podia estar maís de acordo consigo

    ResponderEliminar
  2. Concordo com o Zito: Dois proveitos não cabem no mesmo saco

    ResponderEliminar
  3. Numa quinta destas sem o livro , degustarei o arroz em vossa companhia e com toda atenção ao momento!

    ResponderEliminar