terça-feira, 7 de outubro de 2014

[7500] - MINDELO: ENTRE A FICÇÃO E A REALIDADE...

...oooOooo...

Ao completar três quartos dos primeiros dez  milhares de "posts", temos o prazer de publicar uma interessante história do Mindelo, de Ana Cordeiro, que a Câmara Municipal de S.Vicente publicou, em 2005, nos Nºs 1 e 2 da sua Revista Soncent e que o amigo de longa data, Manuel Marques da Silva, nos fez chegar às mãos...
Dada a extensão do trabalho, ele será publicado em vários capítulos, diariamente...Esperamos que seja do vosso agrado!





Descoberta em 1462 por Diogo Gomes, S.Vicente manteve-se praticamente deserta até princípios do séc. XIX, apesar de várias tentativas de colonização, realizadas durante o séc. XVIII. Tentativas frustradas pelas secas que, numa ilha tão escassa em água potável, tornavam a sobrevivência praticamente impossível. Assim é que, em 1813, a população de S. Vicente, estava reduzida a um punhado de “aventureiros, pastores de rebanhos alheios, prostitutas e degregados” 1. As autoridades apesar de tudo não desistem e recrutam camponeses pobres e sem terras, de Stº Antão, para aqui se fixarem. Em 1821 haveria nesta baía uma pequena povoação com 289 habitantes, composta por choupanas, uma igreja, algumas casas de alfândega e a residência do capitão-mor (todas assoalhadas e cobertas de madeira)2 que tem o nome de Leopoldina, depois de ter sido chamada Nª Srª da Luz e Dom Rodrigo.
Provavelmente assim continuaria se, nos finais de 1837, os ingleses não manifestassem o seu interesse pelo Porto Grande de S. Vicente, aqui criando os primeiros depósitos de carvão. O então Governador de Cabo Verde, o liberal Joaquim Pereira Marinho, percebendo a importância estratégica deste porto entusiasma-se com a ideia de desenvolvimento de Cabo Verde à volta do Porto Grande do Mindelo e consegue que em 11 de Junho de 1838, por decreto ministerial e portaria régia, seja autorizada a mudança da capital da Praia para S. Vicente. A decisão foi fundamentada nas condições do Porto Grande, no melhor clima e em informações erradas sobre a disponibilidade de água potável. São disponibilizados meios para a construção da futura capital que é baptizada com o nome de Mindelo, em homenagem ao desembarque das tropas liberais que, alguns anos antes, tinha sido feito na praia do mesmo nome em Portugal e que abriu caminho à vitória dos liberais.
Esta medida não encontra apoio entre os criadores de gado das ilhas de Barlavento, habituados a usar S. Vicente como se seu terreno de pasto se tratasse, nem naturalmente por parte das elites da Praia, cidade que acaba por ser beneficiada pela medida pois que, de acordo com Senna Barcelos, não concordando os governadores com tal transferência, trataram de introduzir os indispensáveis melhoramentos na Praia…3, pelo que depois dum entusiasmo inicial grande, a mudança da capital parece estagnar. Entretanto, o desenvolvimento da navegação a vapor e mudanças mundiais a nível político e económico, conduzem a um aumento do tráfego de mercadorias e passageiros para os novos estados da América do Sul, pelo que se reacende o interesse britânico pelo Porto Grande.

Consulado inglês - 1910

As Companhias Inglesas

Em 1839 a Companhia das Índias Inglesas, através do Sr. Jonh Lewis, já tinha obtido licença para estabelecer um depósito flutuante de carvão e a partir de 1840 foi mentando o número de navios entrados no Porto Grande. Em 1850 é a vez do cônsul inglês John Rendall pedir permissão para criar um depósito que pudesse servir a navegação a vapor entre a Inglaterra e o Brasil. Daí até fim do século, instalam-se em Mindelo várias companhias inglesas de carvão. Apesar disso nunca houve um verdadeiro clima de concorrência e, fosse por acordos ou por fusões entre essas companhias, sempre conseguiram impôr o preço do carvão retirando assim competitividade a este porto relativamente aos portos das Canárias. Apesar do monopólio inglês, agravado ainda por uma administração colonial rotineira, burocrática e desinteressada, em 1875, o Porto Grande já era o maior porto carvoeiro no Atlântico Médio, sendo que, de 199 vapores de longo curso entrados em 1875, se passou para 1865 no ano de 1889, tendo a partir dessa data começado a diminuir o número de vapores entrados.
Também em termos de comunicações, Mindelo acompanha a evolução tecnológica com a inauguração em 1874, da primeira estação telegráfica por cabo submarino do arquipélago. Nos anos seguintes vão-se estabelecendo ligações com África, Grã-Bretanha, Brasil e Argentina. A Western Telegragh Company foi uma das empresas mais importantes de S. Vicente.

Continua...


1 comentário: