sábado, 7 de março de 2015

[7867] - ASSIM SE VAI ESFUMANDO O PATRIMÓNIO...


Docentes da Escola Industrial e Comercial do Mindelo Guilherme Dias Chantre, mostram-se descontentes com as condições de degradação da Escola. Os professores consideram que o edifício tem estado a degradar-se dia após dia, uma situação que consideram “lastimável”.

A constante degradação da Escola Técnica do Mindelo em funcionamento desde 1954, tem sido motivo de descontentamento por parte dos professores que resolveram denunciar as condições em que a Escola se encontra.
Tectos das salas degradados, paredes e coberturas com várias fissuras, muros caídos, são alguns dos “graves problemas apresentados pelos professores. O edifício apresenta várias criticidades e requer uma requalificação profunda, diz o professor de construção civil.

Para um dos professores, a Escola merece uma outra atenção por parte do Ministério da Educação uma vez que o estabelecimento contribuiu e continua a contribuir para o desenvolvimento de muitos e grandes cidadãos cabo-verdianos. “A Escola Técnica do Mindelo como é conhecida, funciona desde 1954 e pouco ou nada recebeu de manutenção”.

As condições da Escola são “lastimáveis” e representam um risco para a comunidade escolar. Os tectos não dispõem de quaisquer condições, quando chove temos de procurar salas com melhores condições, adianta o professor.
De acordo com as informações colhidas através dos docentes, o Ministério da Educação está a par do assunto, mas nunca obtiveram nenhuma resposta. O NN soube ainda que a Escola está a trabalhar num projecto para ajudar na requalificação do edifício e já tem financiamento da Câmara Municipal de São Vicente, mas é necessário mais financiamento.

A requalificação do muro de protecção é também uma das preocupações dos professores que dizem ter caído desde 2006 e nunca mais foi arranjado. A situação é constrangedora para os professores, uma vez que o desabamento do muro tem vindo a facilitar a entrada de pessoas com más intenções, permitindo que a escola seja alvo de actos de vandalismo.

O director da Escola foi contactado pelo NN, mas estava ausente.

(Noticias do Norte)

2 comentários:

  1. Se a fachada começa a ruir é mau sinal para o estdo dos órgãos internos. A sina de tudo o que é património de S. Vicente abandono e ruína.

    ResponderEliminar
  2. É certo que o dinheiro não abunda na nossa terra, mas o que acontece é que uns são mais filhos que outros.

    ResponderEliminar