quarta-feira, 1 de abril de 2015

[7953] - DEGOLA DE CORDEIROS EM 3ª FEIRA-SANTA...

A Selecção (?) portuguesa de futebol apresentou-se, ontem à noite, no Estoril, equipada a rigor para o seu próprio funeral - de negro, dos tornozelos ao pescoço, com este bem a descoberto e pronto para a degola que era fácil de adivinhar...Em boa verdade, não foi equipa de segunda nem de terceira escolha pois, de equipa, nada teve,,,Era mais uma manta de retalhos, individualmente, quiçá, vistosos, mas perfeitamente inoperantes no conjunto, patenteando uma falta de imaginação confrangedora a par de uma natural e total ausência de ligação e de rotinas...Eram uma mão cheia de "nomes" arrebanhados segundo o principio de que o que vem à rede é peixe, porém,  quase todo ele peixe para isco a que os Tubarões cabo-verdianos chamaram...um figo! O Senhor Engenheiro parece que, desta feita, meteu a pata na poça e esqueceu-se de que as muitas condicionantes e particularidades do encontro de ontem se vão desvanecendo no tempo e que, o que sobrará para a posteridade é, apenas e só, o resultado...E não me parece que os "seleccionados" da noite passada se sentirão felizes por terem sido actores do sacrifício pascal a que foram condenados...Alguem se esqueceu de que aqueles jogadores são homens cujo orgulho pode ser ferido e cujo amor-próprio pode ser manchado...Por tudo isso e até por respeito ao adversário e à finalidade ultima do jogo, Portugal deveria ter-se apresentado em campo com uma selecção mínimamente representativa do lugar que ocupa no "ranking" mundial e cujo prestígio me parece dever ser mantido a todo o transe...
Claro que o seleccionado de Cabo Verde não tem nada a ver com o assunto. Jogou o que pode e sabe (e que não é pouco...) e justificou o resultado, sendo mais eficiente do que brilhante...Merece, pois, o nosso aplauso!

3 comentários:

  1. Claro, vi o jogo com bastante entusiasmo por razões diversas e posso dizer que Cabo Verde ganhou bem mas...
    Sem ser desculpa, a equipa de Portugal era uma "B" ou mesmo "C", embora os jogadores serem de categoria internacional v.g. Anthony Lopes (um dos 4 melhores guarda-redes da 1a Divisão francesa) o Bernardo Silva, o Hugo Almeida, etc.
    Na equipa cabo-verdeana estavam três rapazes que jogam em França: - Ryan Mendes de Lille, Odair Fortes de Reims (Primeira Divisão) e Tavares de Dijon (no líder da Segunda Divisão).
    Vamos esperar com paciência o quarto encontro com as duas equipas completas.
    Então as palmas serão mais fortes.
    Seja como for, Vivam os Tubarões !!

    ResponderEliminar
  2. Como já expliquei noutro espaço, vi o jogo com aquela descontracção natural de quem assiste a desafio que é de carácter particular e que ainda por cima tem um determinado fim de solidariedade. Fora isso, todo o cabo-verdiano autêntico fica com o coração dividido quando o desafio é entre Portugal e Cabo Verde. É o meu caso e julgo que o foi também de muitos espectadores cabo-verdianos ou de origem cabo-verdiano que assistiam na bancada o em casa. No fim, gostei da vitória de Cabo Verde, porque a mereceu, mas também pela ilação que o seleccionador de Portugal deve ter tirado. Não há jogo a feijões e o prestígio de uma selecção deve ser sempre salvaguardado. No mais, gostei de ver o presidente de Cabo Verde, que é um adepto do desporto-rei, e do excelente comportamento do público durante e após o jogo. Diferente foi aquele jogo contra Angola há uns anos, em que os jogadores angolanos entraram no campo com a aparente intenção de partir pernas ao adversário. Isso é que é vergonhoso e não devia em caso algum admitir-se entre dois povos da mesma comunidade e com história comum.

    ResponderEliminar
  3. Ora essa, ao contrário do que estes dois rapazes aqui de cima estão a perorar (armados em comentadores de mesa de Café Royal), Portugal não perdeu com Cabo Verde. Então vocês não perceberam que Portugal empatou? Sim, empatou!!! Primeiro jogo de sempre com Cabo Verde deu vitória a Portugal; segundo, acabou em empate: e terceiro jogo (este) terminou com vitória dos Tubarões Azuis. Portanto, estamos perante um empate, ahahahaha, há que salvar a honra do convento, mesmo quando ele é invadido por vorazes esqualos do Mar de Canal. No Praia de Bote já dei vivas a Cabo Verde e a Portugal e agora aqui no Ac'A dou um viva ao Rui Águas - que, casado com uma cabo-verdiana é outro empate futebolístico. Atenção que eu escrevi "empate" e não "empata". Esperemos pelo quarto jogo e que seja em breve. De resto, quanto a vencedores, tanto me faz. Quer ganhe Cabo Verde, quer ganhe Portugal, fico satisfeito na mesma.

    Braça com bola ao centro,
    Djack

    ResponderEliminar