domingo, 17 de maio de 2015

[8156] - VIRAR AS COSTAS AO ÓBVIO....

São Vicente e Santo Antão, um potencial turístico inexplorado

·        A jovem portuguesa, que esteve recentemente de visita à ilha do Monte Cara, começa por expressar seu amor pela lha, a 'morabeza' e forma calorosa como é sempre recebida pela população local.

Mindelo – 15 de Maio – As ilhas de Santo Antão e São Vicente devem unir forças e em conjunto dinamizar o sector do turismo naquilo que de melhor tem, ou seja o turismo de natureza, aventura, cruzeiro, cultural, desportivo, entre outros. Quem o afirma é Susana Mendes, operadora turística, licenciada em turismo e lazer, em entrevista exclusiva ao Ocean Press.
A jovem portuguesa, que esteve recentemente de visita à ilha do Monte Cara, começa por expressar seu amor pela lha, a 'morabeza' e forma calorosa como é sempre recebida pela população local.
“São Vicente e Santo Antão deveriam oferecer um pacote turístico em conjunto, pacote que vai desde o cultural à aventura. A ilha de Santo Antão é uma ilha verde, montanhosa e excelente para praticar turismo de aventura. Já São Vicente tem a cultura, o turismo de cidade gastronómico que poderia ser melhor explorado”, afirma Susana Mendes
 A nossa entrevistada reforça ainda que as quatro vertentes turísticas existentes entre as duas ilhas e o facto de estarem próximas uma da outra, o que facilita a desolação, deveriam ser melhor exploradas como forma de potencializar as duas regiões e criar rendimentos para as populações locais.

Vender espaços emblemáticos não é solução
 Falando dos pontos históricos das duas ilhas, a nossa entrevistada mostra-se indignada com o facto de serem postos à venda ao invés de serem aproveitados como pontos de exploração turística, relembrando que “todos os passos dados agora, vão se reflectir no futuro e quem vai pagar são os mais jovens”.
 "Vender locais emblemáticos pode parecer, hoje, uma boa solução em tempo de crise, mas no futuro ver-se-á as consequências disto. Num país onde tudo é privado os limites de acção para os jovens quadros e os que futuros profissionais serão cada vez mais escassos”, afirma Mendes.
Portanto, Susana Mendes acredita que o turismo local deve ser pensado de forma a não destruir o lado social, cultural e histórico, mas sim valorizar as comunidades e as suas tradições e culturas.

“Aquafun parque” - Grande potencial turístico 
 No que diz respeito à diversificação das ofertas turísticas em São Vicente, Susana acredita que o "Aquafun parque" vai trazer maior dinâmica à procura de actividades de lazer para quem visitar a ilha.
“A cidade do Mindelo em termos de oferta e ocupação de tempos livres não tem muito a oferecer. Existem acontecimentos esporádicos, alguns festivais que acontecem ao longo do ano, o carnaval e o festival de teatro Mindelact, que é muito expressivo na ilha e que traz muitos turistas para ilha, mas de resto a ocupação dos tempos livres é nula”, avança.
Mas a partir da inauguração do parque quem vier de férias à ilha terá outras opções, para além das culturais, adianta Susana Mendes.

Quem é Susana Mendes?
Susana Mendes, é uma jovem natural da localidade de Santarém, Portugal, e é a autora do livro “O homem e a responsabilidade Ambiental”, lançada em 2011.
Segundo explica a autora, o livro surgiu da realização de uma tese universitária que no final resultou num guia turístico de bolso e que qualquer pessoa pode consultar.

Ocean Press

Sem comentários:

Enviar um comentário