sábado, 30 de maio de 2015

[8202] - COMBATENTES - DESCONTENTES...



ACTUALIDADE

Destaques do Jornal A Semana nº 1189
29 Maio 2015

Elementos da Associação de Combatentes da Liberdade da Pátria (ACOLP), denunciam indícios fortes de fraudes e negociatas no processo que levou à admissão de mais de 500 novos combatentes, desde a aprovação, em 2013, do novo estatuto que fixa uma pensão mínima de 75 contos aos que forem, segundo as novas regras, reconhecidos. Eis a manchete de A Semana que chega ontém às bancas. O assunto foi debatido na Assembleia-Geral da Associação, que decidiu criar uma Comissão para intervir junto da Assembleia Nacional e do Governo, no sentido de reanalisarem os "dossiers" e tomarem as medidas para corrigir eventuais irregularidades.

Colaboração de
José F. Lopes

4 comentários:

  1. Subscrevo o comentário do José. É tão completo na análise que faz, que nada mais há a acrescentar.

    ResponderEliminar
  2. Quem andava a dizer que havia combatentes demais ou a mais?
    Muitas questões se colocam a este processo todo que envolve pensões e regalias à custa do estado cabo-verdiano.
    -Como é que é possível haver centenas de combatentes em CV, se nunca os houve em tão grande número, sobretudo numa terra em que na véspera do 25 de Abril a maioria das pessoas ou era indiferente à política e ao que se passava no dito ultramar, ou era fervorosos portugueses e muitos casos zelosos militantes do regime de Salazar?
    -Como é possível inventar narrativas heroicas, ver épicas, se não houve guerra no território do arquipélago, e os que regressaram da guerra da Guiné era uma dezena?
    Confundir combatentes com simpatizantes do PAIGC é uma extrapolação abusiva e inaceitável!!!
    Integrar na fileira dos Combatentes, pessoas oportunistas nunca fizeram nada pela causa que defendem os Combatentes, ou que se declararam do PAIGC bem depois do 25 de Abril, é algo que ofende a inteligência das pessoas e que insulta todos os que um dia foram militantes ou simpatizantes daquele partido.
    Mas convenhamos que para alguns dava jeito empolar factos e engrossar números. Mas não contavam com a existência de pessoas com mais de 50 anos que sabiam e viram tudo, e que não engoliriam de ânimo leve esta narrativa burlesca. A História é sempre re-escrita pelos vencedores
    Tentaram realizar o Milagre dos Peixes e agora querem meter água no vinho?

    ResponderEliminar
  3. O comentário do Dr. Fortes Lopes expressou tudo. Faço minhas as palavras dele. Como é possível admitir tamanha farsa em Cabo Verde? A que ponto chegamos em matéria de ética histórica nestas ilhas? Simplesmente vergonhoso.

    Abraços
    Ondina

    ResponderEliminar

  4. Já que se trata de 'Combatentes' erigidos em 'Heróis Nacionais',deve-se exigir uma lista detalhada, oficial, pública (disponível para consulta) com : 'feitos de armas' , e/ou actos de bravura, e/ou heroicidade comprovados e atestados por testemunhas independentes e acima de qualquer suspeita, e isto tudo devidamente homologado por uma comissão de juristas independentes, devidamente mandatada pelo Estado e não por amigos. Só assim se poderá separa o trigo do joio.
    Show us the names.

    ResponderEliminar