terça-feira, 16 de junho de 2015

[8228] - CACOFONIA URBANA...



CACOFONIA URBANÍSTICA NAS PERIFERIAS DO MINDELO - O MAU GOSTO NO SEU PAROXISMO

Clube Matiota caracterizou de CACOFONIA URBANÍSTICA o actual estado da periferia da cidade. A meu ver É UM ADJECTIVO MUITO LEVE... Os arquitectos e os engenheiros civis crioulos podem estar orgulhosos desta descaracterização rompante. Este é o inferno de betão em que a coligação políticos/especuladores/ignorantes/saloios quer mergulhar esta bela e cobiçada cidade!  A condenação é sem apelo nem agravo. É preciso repensar o URBANISMO da cidade do Mindelo. Deve-se exigir a realização urgente de um Congresso de Arquitectos e Engenheiros Civis de Cabo Verde para lhes pouxar as orelhas e exigir compromissos com um URBANISMO que respeite a traça e a tradição desta cidade e trave esta tendência pseudo-modernista. O conceito de urbanismo actual é amontoar casas em forma de caixote (quanto mais altas, melhor...) sem telhados nem estética e sem se ter em conta a história da urbanização da cidade e a sua traça. Esta parte da cidade está a parecer-se com a capital Iemenita (o que não quer dizer que Sanaa não tenha o charme de uma cidade do deserto, construida com materiais locais)...
José Fortes Lopes

3 comentários:

  1. Fei, fei, fei!!! E para além disso, uma urbe deste tipo contorcido torna-se muito mais difícil de administrar, mais cara na manutenção e mais difícil na prevenção do crime. Uma selva destas é o paraíso do ladrão e do bandido.

    Braça labiríntica e não pombalina,
    Djack

    ResponderEliminar
  2. Pensei no proverbio "na casa onde não hà pão, todos ralham e ninguém tem razão" e digo "numa cidade sem patrão todos mandam e so hà trapalhação".
    "Um tempe Soncente era sabe
    Um tempe Soncente er'ôte cosa"
    (dixit Sérgio Frusoni)

    ResponderEliminar
  3. O que se vê presentemente não é senão uma simples amostra da tão almejada mania de certos individuos que pretendem imitar certos recantos que não são nossos. Afirmar que "fomos" não quer dizer que "somos".
    No Urbanismo não hà que proceder a imitações estùpidas. Cada um deve respeitar as suas raizes que não impedem evoluções e é por isso que existe o Urbanismo com gente (em pricipio) capacitada para impor o que deve ser.

    Ema Rodrigues

    ResponderEliminar