quinta-feira, 18 de junho de 2015

[8229] - A HORA DAS TÁTICAS

Amigos
A cada momento as suas táticas.
Nesta fase e depois da ‘artilharia’ a funcionar durante anos (textos de opinião, debates, mesas redondas), o terreno está preparado para outro tipo de acções, embora ainda ‘minado’:  os dois campos estão a olhar um para o outro, com pequenas escaramuças.
A ‘infantaria’ (diversas manifestações de apoio à regionalização) deve entrar em acção pondo Mindelo no terreno. Mas isso não é sem riscos de fiasco, pois há ‘minas’ por todo o lado.  A tática de sair para as zonas pode ser em parte adaptada para as circunstâncias. Todavia, temos que actuar nos media e aplaudo as declarações do Camilo, à imprensa... 
Ou seja, uma manifestação de umas boas centenas de pessoas já seria muito bom. Há 20 ou 40  conseguiam-se pôr milhares na rua hoje, os mindelenses estão escaldados . Houve uma mutação sociológica e política na ilha, sem contar com o efeito da partidocracia.
De qualquer maneira e como disse, se não se aproveitar esta ocasião para tentar sair para as ruas, não vai haver outra. Tem é que se encontrar um leitmotiv político e uma narrativa do estilo: S. Vicente saiu há 40 anos para a independência e volta a sair para a Regionalização!
Não podemos menosprezar o trabalho que foi feito  nestes 5 anos em prol da Regionalização. Ela entrou definitivamente na agenda. É claro que um processos destes dura tempo e dá luta. Na própria França durou décadas e até levou à demissão de ‘de Gaule’ etc.
A teoria tem que estar sempre presente com pausas e mudanças táticas mas ela é  uma arma fundamental: é a arma da teoria...
Por isso é bem vinda a iniciativa do Gualberto em começar a teorizar sobre o modelo da regionalização e as Reformas do país, de modo a sairmos um pouco da retórica.
Estou convencido que vamos ganhar, é claro, por etapas, não tudo de uma só vez, pois não há como dar mais a volta à questão.
José Fortes Lopes

1 comentário:

  1. Por acaso, a minha resposta a este mail do José foi o texto do post anterior. Excedi um pouco o âmbito deste mail, por ter aproveitado a oportunidade para divagar sobre outros ângulos desta problemática.

    ResponderEliminar