quarta-feira, 8 de julho de 2015

[8284] - ONÉSIMO, SENADOR DA REPÚBLICA...

07 de Julho de 2015, 18:22

=O primeiro-ministro nomeou Onésimo Silveira o “grande senador” da República a quem prestou “a mais vibrante” homenagem, na manhã de hoje, 07, no Mindelo, durante a inauguração, na Universidade do Mindelo, do Auditório “Onésimo Silveira”.

José Maria Neves explicou que faz o seu reconhecimento público “com amizade e admiração genuínas”, embora “nem sempre” estivesse de acordo com Silveira.

“Mas a um senador da República é permitido dizer tudo, e Onésimo Silveira é daqueles intelectuais cabo-verdianos a quem devemos permitir, doravante, que nos diga absolutamente o que pensa sobre Cabo Verde e o seu futuro”, lançou José Maria Neves, que especificou, “estando nós de acordo ou não” com o seu pensamento.

É que, para José Maria Neves, que falava no novo auditório da Universidade do Mindelo, Onésimo Silveira “são ele e muitos outros”, o homem “descontente, irreverente e inquieto”.

Descontente, justificou, porque sempre procurou “mais e mais”, sobretudo para Cabo Verde, e tem-se colocado, por causa disso, “à frente de muitos outros”, sempre em momentos “mais difíceis e complexos”.

“Onésimo Silveira está quase sempre à frente de todos, as ideias dele têm uma força fermentadora enorme que em vários momentos da história e do percurso de Cabo Verde, enquanto Nação e Estado, têm feito de nós o que somos hoje”, precisou o chefe do Governo, para quem Cabo Verde precisa de homens com esse nível de descontentamento e esta forma de “afrontar” os desafios.

Para o primeiro-ministro, a irreverência em Onésimo Silveira relaciona-se com o facto de ele nunca se ter acomodado, pois “esteve sempre presente” nos momentos “mais fortes” da vida da Nação e da República, foi um dos protagonistas da luta pela independência, um dos pioneiros a desfraldar a bandeira da transição para a democracia e dos primeiros construtores do poder local democrático em Cabo Verde.

Inquieto, justificou José Maria Neves, porque se está perante um “autêntico intelectual”, que cria enquanto cientista político, um dos primeiros doutores que Cabo Verde teve e quem lançou o debate sobre regionalização em Cabo Verde, porque estava “mais à frente” dos outros.

“Poeta, romancista, ensaísta, crítico literário, é ele e muitos outros, um homem plural, de todas as ilhas, de São Vicente e das outras de Cabo Verde, as outras da diáspora, de São Tomé e da Suécia”, concluiu José Maria Neves.

Presente na cerimónia, o presidente da Câmara Municipal de São Vicente, Augusto Neves, classificou o momento de “belo e memorável”, num “dia histórico” para uma instituição, a Uni-Mindelo, que acredita na ideia de “um ensino de excelência”.

Para o reitor da Uni-Mindelo, Albertino Graça, a atribuição do nome de Onésimo Silveira ao auditório da instituição que dirige é uma distinção que liga, de forma “duradoura e tangível”, o nome do poeta e cientista político a um espaço de ciência e cultura, aberto à comunidade académica e sociedade em geral.

“Onésimo Silveira destaca-se pelos seus feitos em prol do homem, do conhecimento e da academia e principalmente pelo contributo para a consolidação da democracia no país, para o desenvolvimento económico e social, o florescimento das artes, cultura e pelo progresso da ciência e da tecnologia”, sintetizou Albertino Graça.

O Auditório “Onésimo Silveira” é um centro multiusos dotado dos “mais modernos equipamentos” para espaços do género e preparado para receber eventos internacionais graças ao equipamento de tradução simultânea instalado.

Pode ainda receber momentos de cultura e lazer graças à sua capacidade de exibir filmes e de receber actividades de representação cénica, exposições e lançamentos de livros e de outras obras artísticas e científicas.

Inforpress 


4 comentários:

  1. Sou de opinião de que o Onésimo Silveira merece esta distinção. Registe-se a incoerência da afirmação do PM sobre a regionalização: O Onésimo foi "quem lançou o debate sobre regionalização em Cabo Verde, porque estava “mais à frente” dos outros". É então de perguntar em que lugar está o PM a respeito desse debate. Sabe~se bem qual. Irónico, não é? Elogia o Onésimo por estar à frente e ele insiste em permanecer na fila de trás.

    ResponderEliminar
  2. Adriano não dá para perceber, mas o rapaz teve que fazer uma ginástica politico-intelectual difícil: contorsão.
    Sabes uma coiisa estã a tentar arrumar o Onésimo !!

    ResponderEliminar
  3. Breves palavras para deixar ao Onésimo a expressão do meu orgulho a quem, já nos bancos do Liceu Gil Eanes, onde fui seu condiscipulo, demonstrava uma inquietação intelectual que prenunciava o "sabichão" em que se tornou...O truculento "coxim", como afávelmente o tratávamos, era um chutador temível e um gozador nato e expontâneo, de uma exuberância que não lhe permitia ser ignorado, nem por colegas nem pelos professores...Tenho o privilégio de ser seu amigo - mau grado algumas diferenças ideológicas - desde os bancos da escola e creio que a sua irreverência o terá, por vezes, atraiçoado, mas tenho-o na conta de um homem sábio e mentalmente honesto!
    Braça, Onésimo...
    Zito

    ResponderEliminar
  4. Jmn ja deu mao a palmatoria a regionalizacao como alternativa pela crise em CV.

    ResponderEliminar