segunda-feira, 21 de setembro de 2015

[8476] - MAIS UNIVERSIDADES?!

O Ministro do Ensino Superior, Ciência e Inovação, António Correia e Silva, esteve presente, sábado, 19, em Santo Antão, no encerramento dos cursos de complemento de licenciatura em diversas áreas de ensino, promovidos nos últimos dois anos na ilha pelo Instituto Universitário da Educação (IUE), período durante o qual foram licenciados 181 docentes.

No seu discurso, considerou que “esses cursos são muitos importantes. Estamos a capacitar professores, estamos a melhorar a qualidade da educação. Estamos também a violar as fronteiras no sentido de levar o Ensino Superior a Santo Antão”. O Ministro que sempre foi muito pressionado pelas gentes de Santo Antão para levar o Ensino Superior para a ilha, considerou que “aos poucos, estão a ser criadas as soluções com vista à instalação do Ensino Superior em Santo Antão. O segredo é a cultura colaborativa que existe na ilha, onde as instituições sempre se habituaram a trabalhar em conjunto. Correia e Silva adiantou que para que o Ensino Superior chegue efectivamente a Santo Antão “são fundamentais as parcerias como forma de rentabilizar o que existe e ultrapassar as fronteiras”.

As autoridades municipais em Santo Antão insistem na necessidade de criação de um pólo universitário na ilha, uma reivindicação partilhada pelos pais e estudantes que, por várias vezes, reclamaram o Ensino Superior para esta região. (in Noticias do Norte)

N.R. - Já alguém se sentou para fazer algumas contas?!



3 comentários:

  1. Avancem mais universidades que o erário público tem pano para manga!

    ResponderEliminar
  2. Avancem mais universidades, mesmo que sem docentes à altura de o serem, mesmo que sejam mais cursos de lápis e papel, mesmo que os rapazes e raparigas fiquem desempregados! Cabo Verde tem mais olhos que barriga e tem um coração do tamanho do mundo. Alguém há-de pagar a conta.

    ResponderEliminar
  3. Isto é eleitoralismo e irresponsabilidade, que me revolta. Estão a brincar com Cabo Verde, pois o país não tem dimensão para mais do que uma ou duas universidades de lápis e papel, quanto mais em S Antão, que precisa de institutos agrários etc. Não pensam em sinergias. Reparem o engenho político maquiavélico, desacoplar S Antão de S Vicente. Dividir para reinar tem sido o lema deste partido e governo

    ResponderEliminar