quarta-feira, 21 de outubro de 2015

[8572] - MAIORIA Á ESQUERDA...


Mandando às urtigas muitas das suas convicções mais ou menos fundamentalistas, gritadas à saciedade antes e durante a campanha eleitoral, estas três cabecinhas pensadoras conseguiram o milagre geométrico da quadratura do triângulo, provando que, em política, afinal, vale tudo desde que se consiga vencer os vencedores...Porque, na realidade, esta estranhíssima coligação - autêntico saco de gatos -  não se bate a favor de coisa nenhuma mas sim e apenas contra a outra coligação, dita de direita e, principalmente,  contra os seus mentores Passos Coelho e Paulo Portas, personagens a abater a todo o custo e cuja "morte" política vale todos os sacrifícios, todas as negações, todas as omissões, todas as promessas vãs, num cocktail politico que, idealizado a partir de tais componentes não poderá ser menos do que execrável!

6 comentários:

  1. Para mim, mais estranho ainda foi a junção do PSD e CDS com a esquerda radical para derrubar o anterior governo. Essa é que foi mesmo uma coligação negativa. Esta nem por isso...

    ResponderEliminar
  2. Cócó, Ranheta e Facada, em versão política ou a nova troika...

    Braça farta, deste fartote
    Djack

    ResponderEliminar
  3. Concordo consigo, Adriano Lima, mas os políticos batem recordes de incoerência. Quanto ao que se está a passar com o PS, o Bloco e a CDU (ou o PC), não vejo por que motivo estes dois últimos continuam, na perspectiva de alguns portugueses, a ser uma espécie daquilo que eram antigamente os "fidje de fora" em Cabo Verde.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. John, meu amigo, não é a perspectiva de "alguns portugueses" mas sim da grande maioria dos portugueses e o passado não muito distante explica porquê...De resto, nâo vejo como explicar as diferenças entre a ditadura do Estado Novo e as dos Proletariados, a não ser de um ponto de vista meramente filosófico...A História não regista um único exemplo de uma democracia marxisto-leninista, julgo eu...A quimera será sempre isso mesmo: uma quimera!
      Braça...

      Eliminar
  4. Mas quem é que está a falar em ditaduras? Quem é que defendeu a ditadura do proletariado? Não fui eu certamente!
    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo, eu apenas reagi à consideração de alguns (?) portugueses considerarem BE e PCP como"fidje de fora" ou seja, descartáveis...Julgo, até, que eles próprios se colocam estratégicamente em tal posição pois sabem que a maioria os considera como meros partidos de contestação...Ora, a "umbrela" aberta pelo PS é uma ocasião, quiçá única, de se aproximarem do chamado "arco da governação", por isso se atiraram à oportunidade como gatos ao bofe...Foi só!
      Braça...

      Eliminar