quinta-feira, 29 de outubro de 2015

[8596] - APONTAMENTOS...

1
Desde que foram conhecidos os resultados das ultimas eleições legislativas que continuo indeciso quanto à questão de haver - ou não - uma maioria de esquerda na nova Assembleia da Republica...Se bem me lembro, Mário Soares sempre teve a preocupação de chamar a atenção para o facto de o partido que fundou - o Partido Socialista Português - se exprimir na zona do Socialismo Democrático o que, desde logo, fazia perceber que, pelo menos para ele, haveria outros socialismos, quiçá não "democráticos"...
Até podemos acreditar que os partidos, como as pessoas, evoluem, uns em meras questões de pormenor, outros de forma mais profunda ou mesmo ideológica, o que não quererá dizer que o P.S. seja, agora, menos democrático ou que os outros socialismos nacionais tenham, eles próprios, vestido a pele dos cordeiros que pretendem parecer... Mas, uma coisa toda a gente sabe, ou sente, ou simplesmente suspeita, é que existem em Portugal vários socialismos e tão diferentes nas suas fundações ideológico-programáticas que, por muito que se abracem e se agitem jamais conseguirão obter um tempero minimamente homogéneo para a salada politica em que pretendem, artificialmente, transformar o país...
Não a creditamos pois, que os portugueses, embora adormecidos como a mentora do B.E. adora constatar, tenham com os seus votos dado a ninguém luz verde para decidir que, no momento, tenham colocado os socialismos lusos no mesmo saco ou não teriam disseminado os mandatos de tal forma que só uma valsa a três permitirá uma maioria à justa e suficientemente desafinada para não recolher os aplausos de metade do país não contando, claro com a abstenção recorde, verdadeira vencedora das eleições!
2
Enquanto aqui, no jardim à beira-mar plantado, as esquerdas lusitanas se esfalfam no assalto às cadeiras do poder para o que, o P.S. terá, obviamente,  que fazer concessões de fazer gelar as meninges dos economistas não socialistas-costistas, buscando um entendimento em que, até há pouco tempo, nem Judas acreditaria, a nivel da U.E. as coisas continuam tão azêdas como dantes entre o P.S., por um lado e P.C.P. e B.E., pelo outro...Efectivamente, as super-esquerdas nacionais, mais uma vez, submeteram à votação um lote das suas quiméricas propostas que, obviamente, foram liminarmente rejeitadas em massiva votação contra que contou, como se sabe, com os votos do P.S. (dito democrático...)...
Perguntar-se-á como é possível que os mesmos partidos que, em determinado meridiano fazem das tripas coração para se colocarem de acordo,  noutro meridiano mais a leste, se demarcam nos antípodas do espectro político europeu!? Não tem lógica, não tem explicação...Não há vergonha!!!

Sem comentários:

Enviar um comentário