segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

[8822] - VISÕES INSUSPEITAS...


Como acontece, por norma, aos domingos, ontem, com a Maiúca, lá fomos, cerca das 13,00 horas, comer o óptimo cozido do Restaurante Tailândia, aqui perto de casa, no Monte Abraão de Queluz...
Costuma haver enchente, pois a comidinha é de boa qualidade, os preços convidativos e o ambiente muito descontraído... Assim, é vulgar uma mesa para seis pessoas, ser ocupada por três casais desconhecidos uns dos outros ou outros arranjos de ocasião.
Ontem, estávamos a meio da refeição, numa dessas mesas de seis, com um nosso vizinho e a mãe, quando um casal de sessentões ocupou os restantes dois lugares, num dos topos da mesa...Nunca os tinha visto!
A senhora, uma loura que, anos atrás deve ter sido coisa digna de se ver,
mostrou grande à-vontade metendo conversa e levando ao conhecimento de que que ela e o marido, já de fartas cãs, eram viajantes viciados e, imagine-se, nas ultimas férias tinham estado 15 dias em...Cabo Verde!
Para além do Sal, estiveram na Boavista, em Santo Antão, em S. Vicente e na Praia!
Começaram por dizer que não tinham gostado da Praia, que tinham achado a cidade  muito suja, com imenso lixo pelas ruas, voando ao sabor do vento quente, que tinham apreciado devidamente as praias douradas da Boavista, a tremenda beleza telúrica de Santo Antão e tinham adorado a sua semana no Mindelo...Primeiro, porque acharam as pessoas extremamente simpáticas, a cidade asseada, o mercado mais limpo e ordenado que já conheceram e, especialmente, uma profusão de manifestações artísticas muito diversificadas que calaram fundo na sua sensibilidade de pessoas cultas... Disseram que haveriam de voltar a Cabo Verde em breve... mas apenas a S. Vicente, mesmo apesar de terem experimentado, em Santo Antão, um "grogue" velho que os deixou extasiados...
Ficamos de nos reencontrar, dentro de duas semanas, no mesmo local, para retomar a conversa cujo preâmbulo de ontem me deixou fascinado, emocionado e, claro, orgulhoso da nossa ilha de S. Vicente e da nossa cidade do Mindelo...E da nossa gente, claro!

8 comentários:

  1. Gente que sabe o que é bom e que vê com olhos de ver.

    Braça contente também,
    Djack

    ResponderEliminar
  2. deixo um pouco do sabor e cor de Salvador.
    https://fbcdn-video-n-a.akamaihd.net/hvideo-ak-xap1/v/t43.1792-2/12517656_172888306404732_801078996_n.mp4?efg=eyJybHIiOjIwNTIsInJsYSI6MTU1NSwidmVuY29kZV90YWciOiJzdmVfaGQifQ%3D%3D&oh=a549a2cb5236a32df783a1a4684f2084&oe=569D1BD3&__gda__=1453138175_7e408218be4f2a24c75258e35b199214

    ResponderEliminar
  3. Honra seja feita, 'Soncent eh sabe lovara deus!' Queremos que fique melhor para os mindelenses e vistitantes

    ResponderEliminar
  4. Eu sei o que o Zito sentiu e concordo com as reacções do Djack e do Djô.
    No principio deste ano conversei com uma senhora que visitou Sto.Antão e S.Vicente com o marido e filhos, depois foi so com o marido. Entretanto faleceu-lhe o companheiro e voltou a SonCente, Sintantom (para ver os amigos), Sal e Boavista. Na sua ùltima viagem (Dezembro/15) visitou S.Vicente, Sto.Antão e o Fogo. E, "porque gosta de Cabo Verde" vai regressar.
    Depois eu conto o que prometeu acrescentar.

    ResponderEliminar
  5. Imaginem o que é ler este relato do Zito com a música do Travadinha a enfeitiçar as suas palavras.
    Parece que, por mais que o Estado concentracionário privilegie a Praia, por mais que a adorne com vestidos caros, a realidade é indisfarçável. Há aquele cheirinho que permanece mesmo com camadas de perfume em cima. Digo isto sem desprimor para os irmãos santiaguenses.

    Em Setembro do ano passado, um amigo meu e colega de profissão foi a Cabo Verde com a mulher, pela passagem das suas bodas de ouro. São das Caldas da Rainha. Ela nasceu em S. Vicente, filha de um militar, tendo regressado a Portugal aos 4 anos, mas conservando ainda uma vaga imagem da cidade. O seu destino era S. Vicente, com passagem por S. Antão, porque ela sempre ansiara retornar, ao menos uma vez na vida, ao lugar onde nasceu. Pedi a um primo meu que lhes desse todo o apoio local que fosse possível. Escusado é dizer que adoraram e querem voltar, e passaram o testemunho aos filhos, que também querem ir conhecer a terra onde nasceu a progenitora. Uma das coisas que me disseram é que se sentiram como se estivessem em Portugal. Se S. Vicente as encantou por aquilo que é, S. Antão deixou-os estarrecidos com a sua paisagem telúrica.

    Ai, esta música de fundo!

    ResponderEliminar
  6. Estou em pulgas para o reencontro com o simpático casal, num sentimento muito semelhante ao que costumava experimentar há muitos, muitos anos, na antecipação dos meus encontros diários com a Maiúca...As razões, são bem diversas mas a ansiedade é a mesma!

    ResponderEliminar
  7. De facto, Mindelo é uma cidade acolhedora e ...quase preparada para receber forasteiros. O que não sucede e nem se sente nas outras duas cidades. Mindelo apresenta recantos, locais com alternativas aprazíveis a quem a visite. De uma maneira geral limpa. Nos seus mercados, «plurim» apetece comprar, mesmo sem se precisar...Acho isso um encanto!

    ResponderEliminar
  8. O segredo de Mindelo está no "MINDELENSE", e deve ser por causa do Monte Cara. Não se faz muito "esforço" para as coisas acontecerem; todo é natural, mas calmas, (temos tempo para perder tempo). Bastava apenas um pouco mais de liberdade "Política" para as coisas serem melhores, porque a imaginação e criatividade temos que sobra.

    ResponderEliminar