segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

[8898] - EM BUSCA DA JUSTIÇA...

Dom Danillon
 Hoje peço desculpas aos meus amigos pelo palavreado sincero que vou derramar, apesar de muitas pessoas terem medo de certas palavras. Mas a Palavra é mais importante do que se possa pensar, ela é Sagrada e até Jesus Cristo chamou a si de Palavra, pois disse que através dela (igualada a Jesus) que se fez o Mundo e tudo o que nele existe. Na verdade a Palavra é Poderosa. Mas as minhas, não quero saber se são poderosas ou não, que sejam somente Verdade. Estou terrivelmente furioso, vejo e revejo situações de Comparação. Para alguns quando faço esta imagem tentam ludibriar e achar que eu personalizo e achasse que quero ser o centro de atenção. Pois faria isso como cidadão, mas já não o faço, pois não quero ser CIDADÃO, nem educado, e sobretudo nem falso ou Hipócrita. Vendo esta imagem que de todo parece verdade e se for montagem que me perdoem, mas se for verdade que vão todos para o caralho e vão para o inferno onde já deveriam estar aqueles que estão coniventes com tal situação. Eu também queria ter uma casa, acho que tenho esse direito, todos dizem mas não vêem nada! O Jacinto Santos mandou demolir a minha casa em Santaninha , Várzea da Companhia Cidade da Praia , quando eu era cabo-verdiano com todas as letras como ele, o Ulisses , o Jorge Carlos Fonseca, o José Maria Neves e uns milhares que nasceram naquelas ilhas. Desisti da Praia , mesmo antes de ser inundado pelos bairros clandestinos e thugs e bandidagem descontrolada. Parti para minha ilha depois de passar dois anos num curso de Pede&Cócó, (Instituto Pedagógico da Praia) com ideia de viver e morrer no meu canto predileto, onde em 1964 enterraram a placenta que unia a minha mãe. Era o MpD no Governo e fomos surpreendidos com a Erupçao de 1995 que deixou indecisa a População de Chã das Caldeiras e o meu sonho de viver e morrer em Cha das Caldeiras. Diga se de passagem que o MpD tao arrogante e vingativo tratou de qualquer maneira aquele acontecimento primeiro na vida do Pais independente. Nesta luta de ficar eu perdi por poucos dias. Se não deixam viver e trabalhar em Chã das Caldeiras, o Mundo é relativamente grande para escolher um sitio onde viver. Todos voltaram, até a Escola e o Posto Sanitario, mas o cara que representava esta luta estava dois meses e quilometros de distancia numa Escola Espanhola em Algés como servente de pedreiro tentando esquecer que meses antes era Coordenador de Expressao Plastica na Delegaçao de Sao Filipe. Parece que tudo foi feito de proposito debaixo dos meus pés. Apesar disso fiquei contente de ter a minha Gente no seu espaço e a pensar um dia fazer a minha casinha (lar) para viver e morrer. Nem sempre a Emigração é o que pensam nas ilhas, como ja frisou um cantor cabo-verdiano, "strageru é só ilusão", eu percebi poucos meses depois. Em 2010 Portugal Europa e o Mundo entrou em crise e procurei a minha terra para amparar as minas experiências e acudir da melhor forma esta crise. Que sina! Já havia a Câmara de Santa Catarina e Chã das Caldeiras passou de aldeia perdida para uma corrida ao ouro. Ja havia muita gente estranha instalada e familiarizada (nacionais e estrangeiros de outros países) Eu nao sou do Partido, nem tolero bandidagem e arrogâncias,quando não preciso de cunhas e favores quando sou um cidadão de pleno e igual direitos que os outros. Dei muito mal na presença de falta de Justica Liberdade Democracia, arruinaram todo o meu esforço que já estava mal com a crise. Demoliram a minha construção e ofenderam profundamente a mim e a minha família, ja que a Caldeira é toda ela uma familia, com tiros rajadas policias aparatos , amedrontando os turistas e as crianças em plena aldeia de Portela. Procurei o Tribunal para queixar as minhas injurias sofridas. Mas a JUSTIÇA esta enclausurada, não encontrei, mas Deus soube fazer a sua justiça. Estou farto destas merdas, nao quero ser cidadão não quero ser educado, nem elegante. Quero é JUSTIÇA custe o que custar. Dêem o nome que vocês quiserem ! O Presidente da Republica sabe desta perseguição, a Primeira dama Ligia Fonseca, a filha do Presidente que como advogada deu entrada de uma queixa que já esta com o selo de pendente, para ir ao esquecimento como outras da minha zona! O Tribunal da Comarca de São Filipe, os Deputados da Assembleia de Cabo Verde, mas ninguém responde ao cidadão aflito e injuriado no seu direito Constitucional. Agora o Ulisses Correia não sabe deste Prédio? EU NÃO QUERO SER UM CIDADÃO NORMAL, NÃO HÁ NADA A GANHAR COM ISSO. GUERRA AOS CORRUPTOS BANDIDOS DE CABO VERDE!


1 comentário:

  1. Confesso que não sei o que colocar aqui como comentário. Talvez repetir o que Arsénio Pina tem dito: "ês ca tá cdi". E isto parece acontecer em todas as instâncias e sectores do poder.
    Quanto a esta coisa que está na fotografia, eu não lhe chamaria "prédio", mas sim uma "colmeia". Mas será possível que o descalabro tenha chegado a tanto ou aquilo é uma montagem?

    ResponderEliminar