quinta-feira, 14 de abril de 2016

[9124] - UCIB, APREENSIVA...

A União Cabo-verdiana, Independente e Democrática (UCID) está apreensiva com aquilo que chama de “super ministério” da economia no novo governo do MpD. Para o presidente do partido, ter uma única pessoa a coordenar um ministério que engloba uma vasta gama de actividades económicas poderá colocar em causa os objectivos do país. Por isso, António Monteiro defende suportes políticos para alguns dos ministérios. 

Em conferência de imprensa, em São Vicente, para analisar a estrutura e composição do novo elenco governamental, o líder do partido, António Monteiro, defendeu que o Ministério da Economia deveria ter mais um ou dois secretários de Estado, para aumentar a capacidade de resolução das questões económicas e geração de emprego.
“A UCID vê com alguma apreensão o facto de termos um ministério fortemente adensado que poderá não facilitar na resolução dos problemas”, acredita.
A UCID critica ainda aquilo que chama de dispersão do trabalho, da solidariedade e do apoio social. António Monteiro considera que o facto de estas áreas estarem dispersas por vários ministérios poderá criar algum obstáculo na organização e satisfação das necessidades sociais do país.
Também o facto de Negócios Estrangeiros e Defesa serem tutelados pela mesma pessoa não agrada à UCID. O partido entende há uma incongruência, na medida em que o Ministério dos Negócios Estrangeiros poderá implicar que a tutela esteja no exterior, em vários momentos, contrariamente ao da Defesa.  
“Entendemos que há uma incongruência que poderá não ajudar nas decisões que deverão ser tomadas a tempo e horas”, entende.   
Eleições autárquicas
No que diz respeita as eleições autárquicas, o presidente da UCID afirma que está à espera dos resultados de uma comissão interna do seu partido para ver se haverá ou não a possibilidade de voltar a candidatar-se à autarquia mindelense.
“Se eu vier a me candidatar será a quarta vez. É muito e penso que é altura de encontrarmos outras pessoas. Não estaria disponível para, mais uma vez, perder”, afirma.
Uma decisão que dependerá, segundo António Monteiro, do resultado da actualização de um estudo realizado no mês de Fevereiro. 
(in Expresso das Ilhas).

Sem comentários:

Enviar um comentário