quarta-feira, 27 de abril de 2016

[9165] - A CHACINA DE MONTE TXOTA...

Os familiares do soldado desaparecido do destacamento militar de Monte Txota, Manuel António Silva Ribeiro, conhecido por ‘Antany Silva’, procuraram Polícia Nacional no Palmarejo para revelar que o militar confessou ter assassinado as onze pessoas. Afirmam que “Antany” procurou alguns parentes após o crime e desabafou ser ele o autor dos assassinatos, sem revelar as suas motivações...

Segundos os familiares, Antany confessou ter matado as onze vítimas uma a uma, chamando cada um e disparando contra eles. Na casa dos parentes de Antany foram encontrados uma das armas desaparecidas (AKM) e três carregadores, supostamente deixados por ele quando os procurou.

Entretanto, o soldado voltou a desaparecer. Neste momento, há um aparato policial sem precedentes, com cerca de 40 militares a formar um cordão de segurança em torno da praça do Palmarejo – frente à Esquadra -, as estradas estão cortadas e o acesso restrito nas imediações do estabelecimento policial.

Esta terça-feira, durante uma conferência de imprensa na Praia, o ministro da Administração Interna, Paulo Rocha, afirmou que o soldado desaparecido – no momento não havia a confirmação de que Antany fora detido – é o principal suspeito desta chacina, realçando, contudo, que não existem indícios de ligação destes factos com o narcotráfico, nem com o terrorismo.

Paulo Rocha disse que motivações pessoais estarão na origem destes acontecimentos. O ministro garantiu, entretanto, que as autoridades estão a tomar todas as medidas que se impõem para esclarecer o caso. Mas esta explicação não convenceu os cabo-verdianos que, através das redes sociais, exigem informações mais concretas, sobretudo no que diz respeito às vítimas.

C/Oceanpress - (A Semana)

Sem comentários:

Enviar um comentário