domingo, 15 de maio de 2016

[9204] - OS MAIS BELOS...

Será que os cabo-verdianos são mesmo  os mais belos do Mundo?

Depois da tirada nacionalista bacoca que pretendia que os cabo-verdianos fossem os mais inteligentes de África, como se houvesse um padrão para medir a inteligência, não é que sai outra, tipicamente forjada nos gabinetes de propaganda saloia, sobre a pretensa beleza absoluta dos cabo-verdianos?! Isto é algo de uma enormidade a bradar aos céus, totalmente desajustado  no mundo do sec. XXI... Está-se a roçar as teorias do eugenismo, se não se tratasse de uma nação crioula nascida da fusão de várias raças e nações: segundo os que estão por detrás desta pretensão uma raça maioritariamente mestiça seria deste ponto de vista mais bela, isto é, das mais lindas do mundo!! Entra-se assim por um atalho perigoso, em concorrência com os defensores da pureza das raças? A que ponto chegamos em Cabo Verde?! Esta é uma pretensão profundamente racista, pois para além de querer definir um índice de beleza, esta (a beleza) é algo relativo, depende dos povos, das culturas, das civilizações, dos valores, etc... (o que é belo para uns pode ser feio para outros). Qual é o padrão de beleza de uma tríbu Papúa, da nova Guiné, que vive no interior do mato, afastada da 'civilização', que mal esconde as suas partes íntimas com folhagem de bananeira? Não acredito que estes sejam considerados nos cânones daqueles que classificaram os cabo-verdianos os mais belos. Mesmo assim, acredito que os papuas se apaixonem pelas suas lindas mulheres, que devem ser lindas para os seus padrões. Reconheço que há muitas cabo-verdianas bonitas mas, como em todos os países, de certeza não serão  mais que 50 % da população. Há os que se consideram lindos e os outros, a maioria, são  os‘normais’... 
Enfim, é um rôr de ligeirezas, estatísticas forjadas, publicidades mentirosas a que vimos  assistindo há mais de uma década e a que convém pôr cobro, para que Cabo Verde seja tomado plenamente a sério. Pois quem inventa tais pretensões está, certamente,  com sérios problemas existenciais!... (José Fortes Lopes)

5 comentários:

  1. Não acho nada bem que o Arrozcatum evidencie a beleza dos cabo-verdianos e esqueça a de outros dois povos sempre destacados pela sua beleza em todas as enciclopédias e sites da Internet: os alentejanos e os marcianos, neste segundo caso, sobretudo os originários de Acidalia Planitia. Atenção que este local existe mesmo em Marte e é muito citado na NASA pela beleza das mulheres locais.

    Braça com misses,
    Djack

    ResponderEliminar
  2. Na verdade, sempre que vou a S. Vicente, fico de olhos em bico com a beleza natural de muitas mnininhas, autênticos modelos. Há uma percentagem significativa que se destaca, pelos traços fisionómicos e pelas proporções físicas. Mas o que se pode extrapolar sobre esta questão é sempre relativo a padrões de apreciação e o ponto de vista de cada etnia. Direi que a mestiçagem favorece grandemente os cabo-verdianos relativamente aos povos africanos sub-saahrianos. Porém, tudo isto é irrelevante e só serve para subestimar valores mais altos, como a educação, o comportamento e a espiritualidade, aspectos em que, também, os cabo-verdianos levam alguma vantagem em relação aos povos daquele quadrante geográfico atrás referido.

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Para comparar tem-se de ter, pelo menos, dois polos. Sem desprimor para as nossas belezas digo que vi (in su situ) dois outrs tipos que não ficariam longe se se fizesse um desafio. Na Africa vi as "peule", que dizem vir de àrabes e africanas; depois as malgaxes da etnia "hova" (pronunciar "uve") de indonésios e malgaxes do planalto, étnia minoritària que constituiu a nobreza até a chegada do General francês Gallieni (*).
    Vamos fazendo comparações divertidas na Praia de Bote com o Arrozcatum mas... com muito cuidado para não passarmos por mais "bazofe" ainda.
    V/

    (*) Como (não) devem saber, nos ùltimos anos da monarquia, antes dos francêses dominarem Madagascar, reinavam as Rainhas e governavam os primeiros-ministros. Assim, sucedeu um facto que enervou o general que pôs termo à brincadeira: - o ùltimo PM (de 1864 a 1895 - Rainilalarovony de seu nome completo) esposou as três ùltimas rainhas. Imaginem !!!. Entrou jovem com uma velha, depois uma da sua idade e, no fim, uma que podia ser sua filha.

    ResponderEliminar
  5. N a corrida ao nacionalismo não sei se estamos bem posicionados para além de ser uma maratona perigosa.
    Não entremos por estes caminhos. Como diz e bem o Adriano tudo isto é irrelevante e só serve para subestimar valores mais altos, como a educação, o comportamento e a espiritualidade. Prefiro estes valores a segurança o bem estar a paz etc.

    ResponderEliminar