quinta-feira, 19 de maio de 2016

[9225] - NÃO FAÇO, EXIJO QUE SE FAÇA...

O deputado José Sanches assumiu a indignação dos professores pelos reiterados incumprimentos dos governos de José Maria Neves, que se arrastam desde 2008. E exigiu ao governo de Ulisses Correia e Silva que resolva, de imediato, o que o PAICV não resolveu durante oito anos


O PAICV exigiu esta quarta-feira que o governo de Ulisses Correia e Silva cumpra as “promessas” que fez para a Educação durante a campanha eleitoral, mas também que regularize os pendentes com os professores que se arrastam desde 2008, da responsabilidade dos governos do próprio PAICV.

O rosto das exigências é o deputado José Sanches (na foto), eleito por Santiago Norte. As declarações do deputado surgiram à margem de um encontro entre o deputado e o presidente do SINDEP (Sindicato Nacional dos Professores), Nicolau Furtado.

O encontro reuniu dirigentes sindicais e deputados do PAICV, tendo em vista a preparação do debate sobre o Programa do Governo, que tem lugar na próxima segunda-feira, 23.

Segundo o deputado tambarina, a bancada do PAICV irá questionar o governo sobre a lista de transição, reclassificações, promoções, progressões e subsídios de redução de carga horária, entre outras pendências herdadas do governo de José Maria Neves e de Fernanda Marques. Uma situação que provocou greves e manifestações dos professores durante a anterior legislatura.

Nicolau Furtado, por sua vez, disse que “os professores vêm esperando desde 2008 a esta parte e não podem aguentar mais” esta situação. “Vamos fazer de tudo para fazer valer os direitos dos professores”, sublinhou o dirigente sindical.  (in Cabo Verde Direto)

Redação

Sem comentários:

Enviar um comentário