terça-feira, 24 de maio de 2016

[9243] - ZIKA IMPORTADO DO BRASIL...

A Organização Mundial da Saúde, OMS, confirmou: o tipo do vírus da Zika que está circulando em Cabo Verde, o asiático, é o mesmo presente nas Américas e provavelmente foi importado do Brasil. A sequenciação do vírus foi feita  pelo Instituto Pasteur, em Dacar.

Esta é a primeira vez que a cepa do Zika responsável pelos surtos ligados a desordens neurológicas e microcefalia foi detectada na África.
Preocupação
O director regional da OMS para a África afirmou que as conclusões são "preocupantes porque são provas adicionais de que o surto está se espalhando para além da América do Sul e está à porta da África".
Segundo Matshidiso Moeti, as informações vão ajudar os países africanos a reavaliarem seu risco e adaptarem e aumentarem seu nível de preparação.
Até o dia 8 de maio, mais de 7,5 mil casos suspeitos da doença foram registrados em Cabo Verde. Pelo menos três casos de microcefalia foram reportados no país e um pelo Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos, após um bebé ter nascido em um hospital americano.
Até o momento, não há relato de casos da síndrome de Guillain-Barré em Cabo Verde.
Grávidas
A OMS defende que, como primeiro passo, estes países devem aumentar a comunicação às grávidas sobre o risco.
O objectivo é aumentar a conscientização sobre as complicações associadas com o tipo asiático do vírus e promover medidas de protecção para prevenir picadas de mosquito e transmissão sexual.
Além disso, os países devem aumentar a vigilância em relação à transmissão do zika e acompanhar casos de má formação congénita em bebés, como a microcefalia, e também casos da síndrome de Guillain-Barré.
A agência da ONU está  ajudando os países africanos na resposta, detecção precoce e gestão de potenciais complicações associadas ao vírus zika. A resposta está apoiada em investimentos feitos na África Ocidental durante a emergência do ébola. (in Exp. das Ilhas)

Sem comentários:

Enviar um comentário