sábado, 28 de maio de 2016

[9257] - O SILÊNCIO DAS INOCENTES...


Para mim, iniciou-se hoje, oficialmente, a época da "caça à sardinha assada", com pouca batata e muito pimento...
Não foi, no entanto, uma estreia de bons augúrios: as "clupeideae", enormes, eram magras como modelos de alta costura, grávidas a mais não poderem e chamuscadas como se tivessem estado sob fogo de Napalm... Uma desgraça completa, aliada à mais completa ausência se sal... Salvavam-se os pimentos - verdes e encarnados -assados no ponto!
Ao olhar, mais triste que faminto, os despojos das inocentes sacrificadas, não consegui ignorar os inchados pares de ovas que cada exemplar ostentava, uma espécie de prenuncio de muitos milhares de outras sardinhas,  bem mais jovens e saborosas, decerto, do que aquelas  vetustas matriarcas  que, apanhadas nitidamente fora de época ou de pesqueiro, não conseguirão cumprir a sua função de maternidade e constante renovação da espécie...
Será por estas e por outras razões de idênticos quilates que existe um permanente e preocupante défice do numero dos cardumes o que obriga a que todos os anos se observarem longos períodos de inactividade piscatória, única forma de repor os "stocks" exauridos por praticas pouco recomendáveis quando não criminosas!

1 comentário:

  1. Este é um dos meus pratos preferidos em Portugal. Além do prazer gustativo, dizem que é saudável para o coração.

    ResponderEliminar