quinta-feira, 7 de julho de 2016

[9420] - O GOLO DE QUARESMA...


Um português, nascido no Brasil, corta uma jogada perigosa da Croácia na sua grande-área. A bola é recolhida por um preto da Musgueira, que avança no terreno até ter a noção do melhor passe. Manda a bola para um mulato da Amadora, que a mete num menino pobre da Madeira. Este, remata à baliza, onde o guarda-redes contrário só tem tempo de a defender para o espaço livre, onde surge um cigano a fazer golo!!!

Todos portugueses... Nenhum vai por uma bomba no Rossio! 
Agnósticos? Ateus? Cristãos? Não se sabe! 
São, todos, filhos da cultura lusitana! 
(Autor desconhecido)
(Colabor. Valdemar Pereira)

5 comentários:

  1. É possível saber quem é o autor deste texto? Isto daria origem a muita conversa, acaso houvesse comparsas para o diálogo.

    ResponderEliminar
  2. Conforme reza a legenda é desconhecido o autor, segundo o Val e tambem concordo que a questão dá pano para mangas...Há é falta de alfaiates!

    ResponderEliminar
  3. Com este tipo de migrantes (ou de seus descendentes) não há gente sensata que discorde mas isso não me parece possível, ultimamente, na minha terra onde a estupidez (xenofobia?) de uns (bem poucos, mas activos) empurra para a... "autenticidade".
    Também gostaria de felicitar o autor do texto e de ver aqui cidadãos ordeiros a opinarem sobre tema que passou a ser candente em certos polos do planeta. Porquê? A meu ver pelo desrespeito da cultura dos anfitriões, de coração aberto, que logo passam a ser os intrusos se não se sujeitarem às exigências de quem não se coíbe em fazer como a cobra da lenda.

    ResponderEliminar
  4. Com isto há razões para concluir que a multiculturalidade de marca lusa tem força anímica, é alimentada de fé, é das mais autênticas e tem pernas para andar. Por isso, justa será uma vitória no domingo à noite.

    ResponderEliminar
  5. A expectativa é enorme e a França toda não fala de outra coisa (radios, Tv's, jornais, cavaqueiras...). Até há quem hesita e se diz - pesarosamente - neutro pois não consegue escolher para qual lado ir.
    Espero que voltaremos a falar dos luso-caboverdianos da Selecção e também de alguns rapazes de vieram de Cabo Verde para jogar em Franca.
    Mas, queria citar outro jogar muito cotado no Onze francês cujos pais, angolanos, fugiram do Congo: - Blaise Matuidi, 29 anos 50 selecções, grande médio esquerdo do Paris Saint Germain. Portanto, não é so o Griezmann, neto materno de Amaro Lopes(falecido em 1992) ex- defesa do Paços de Ferreira, que descende de gente lusa.

    ResponderEliminar