sábado, 27 de agosto de 2016

[9610] - ACERCA DA LETRA "C"...



O post anterior (Nº 9607) faz referência à exclusão da letra "C" do abecedário, perdão, do abedário Alupec (ou será Alupek?) e mereceu, da parte do amigo Dr. Arsénio de Pina, a referência à sua dificuldade em dispensar a letra "C" pois ficava sem solução para receitar a Vitamina C...
Tem razão o nosso distinto clínico...Mas, façamos mais algumas considerações sobre este assunto.
A letra C (cê) é a terceira letra do alfabeto português e é também a segunda consoante. É utilizada em 3,88% das palavras portuguesas.
A letra C começou por representar a letra G, porque os etruscos não utilizavam letras consoantes oclusivas. Já os romanos utilizaram a letra C para representar a letra K e a letra G. Alguns académicos defendem ainda que inicialmente a letra C era a representação de um camelo.
Além disto, esta letra "C tem outras utilidades e representa:

- A velocidade da luz;
- O símbolo do carbono;
 - Cem, em numeração romana; 
- Um condensador ou capacitador; 
  - Um conjunto de números complexos
  - Dó, nota musical (em inglês e alemão)
                                         - Uma linguagem de programação de computadores.

Até é provável que o nosso amigo "C" tenha outras valências e convidamos os  nossos leitores, os que comentam habitualmente e os outros, a denunciarem aqui o que sabem sobre o assunto em defesa, claro, da letra "C", sem a qual até algum vernáculo menos recomendável fica esquisito com a roupagem grega que lhe querem impingir...





2 comentários:

  1. Nunca saberei a razão porque os fundamentalistas embirraram com o C

    ResponderEliminar
  2. E ainda por cima tardam em condenar e anular o disparate.

    ResponderEliminar