sábado, 10 de setembro de 2016

[9662] - ESCRAVATURA EMOCIONAL...


ACUSO A TVI DE PROSSEGUIR UMA
POLÍTICA EDITORIAL DE
AUTÊNTICA ESCRAVATURA EMOCIONAL
E DE DESONESTIDADE INTELECTUAL
COM RELAÇÃO A PESSOAS
EVENTUALMENTE MENOS EXIGENTES
NO QUE RESPEITA AOS CONTEÚDOS
DE MAIOR AUDIÊNCIA!
....oooOooo...

Passo a explicar... Após o extensíssimo serviço noticioso das 20H00, a TVI transmite a "bagatela" de TRÊS telenovelas numa tentativa evidente de surripiar audiências às outras Estações de Televisão...Normalmente,  cada uma destas historias tem o seu começo, antes que chegue ao seu termo qualquer das outras, numa tentativa de obrigar os frequentadores de uma a seguir a(s) seguintes(s), sem despregar olho da pantalha...
E é contando, obviamente, com a  menor exigência do grosso da sua massa assistente que a TVI consegue os índices de audiência que fartamente publicita e que tais espertezas editoriais logram o obter êxito... Mas, não contente com a fórmula, a TVI acaba de sublimar a técnica e todas as noites, agora, acontece o seguinte, após as notícias das 20H00: primeiro, transmite cerca de 15 minutos de uma telenovelas que está prestes a terminar...A seguir, transmite um novo episódio de outra que teve o seu início no passado domingo...Depois, mais 15 minutos da tal que está a acabar e, por fim, um novo episódio da terceira telenovela da noite que já irá a meio, ou coisa que o valha...
Creio que nem o Diabo, se mandasse alguma coisa na TVI se lembraria de tamanha patifaria...Do ponto de vista das relações humanas considero esta atitude da TVI um autêntico atentado à liberdade de escolha de pessoas menos sensíveis a estes atropelos cívicos e morais e pergunto-me até se, sob o ponto de vista da ética profissional tais procedimentos não serão, também, condenáveis...
Já enviei à TVI alguns e-mails sobre o assunto mas, certamente, ninguém tomou conhecimento!

4 comentários:

  1. Há longo tempo, uns dez anos ou mais, que não vejo nem TVI nem SIC nem RTP, para além do que transmitem na hora dos noticiários. Excepcionalmente, se passo por lá e está a dar um filme que me agrade, fico. Fora isso, para mim, as televisões nacionais acabaram. Não estou para lixo. É claro que à conta desta atitude sou obrigado a subscrever a tv por cabo. Mas que outra coisa se poderá fazer, havendo nas estações nacionais apenas material de quinta (perdão, décima) qualidade?

    Braça com filmes e mais filmes, documentários, mais documentários.
    Djack

    ResponderEliminar
  2. Esse é outro aspecto da questão e acontece que se utilizam estes processos imorais para debitar produções de autêntico refugo o que chega a ser confrangedor...
    Braça desiludido,
    Zito

    ResponderEliminar
  3. Concordo em absoluto com o que escreveu, Zito.
    Pena é não haver mais intervenções públicas deste quilate, a denunciar o pobre e vergonhoso panorama da televisão nacional.
    Estou precisamente como o Djack. Não vejo a RTP, a SIC e a TVI e menos ainda o despudorado canal televisivo do Correio da Manhã. Socorro-me, no entanto, dos canais temáticos daqueles três principais canais (SIC Notícias, RTP Informação e TVI 24) mas seleccionando exaustivamente o que produzem. Isto porque também já deito pelos cabelos os debates políticos e os comentadores e preopinantes da coisa pública, que sabem tudo e mais alguma coisa mas que provavelmente falhariam tanto ou mais que os que são alvos da sua crítica. Portanto, faço uma selecção rigorosa, por uma questão de higiene mental e também para não deixar extravasar os limites da minha indignação.
    Desta maneira, tal como o Dajck, e creio que também o Zito, faço muito uso dos canais da TV Cabo que transmitem documentários sobre ciência, história e outros conteúdos que acrescentam algo aos meus conhecimentos. Ah, a RTP 2 também me merece criteriosa atenção.
    Acresce também dizer que entre o lixo televisivo da TVI existem os programas do género Big Brother, que, em minha opinião, constituem o que é de mais abjecto e fedorento em matéria de conteúdo televisivo. E pensar que há pessoas com alguma formação cultural que vêem aquilo!
    Porém, temos de perguntar o porquê deste fenómeno? Aqueles canais televisivos perderam a alma porque quem os sustenta nunca a teve e nem a quer ter. As regras que pautam a sua conduta são as mesmas que regulam o funcionamento do capitalismo no seu pior. E se o nosso povo aceita e procura o lixo que lhe impingem, chafurdando até nele, é porque não há maneira de resolver os problemas que subjazem a essa sintomatologia comportamental. Verifica-se que nem o aumento da escolaridade tem servido de alguma coisa, como veículo de cultura e de melhoria da atitude cívica, e como instrumento para eliminar atavismos e comportamentos primários.
    Por isso, Zito, aplaudo a sua iniciativa.

    ResponderEliminar
  4. A televisão portuguêsa está uma porcaria telenovelas de baixa qualidade, futebol, reality show, etc. Não tenho nada contra estes coisas desde que sejam fornecidas a dose moderadas. Mas as doses actuias são autênticas drogas, o tal ópio para o povo.

    ResponderEliminar